News

Instituto Nacional de Infectologia adota solução de segurança de rede

0

​A Fortinet foi escolhida pelo Instituto Nacional de Infectologia (INI) para otimizar a velocidade, o desempenho e a segurança de sua rede. Em virtude das funções que desempenha e dos serviços que oferece (instituto de pesquisa, serviços hospitalares e de ensino), o INI precisou repensar sua infraestrutura de segurança de rede.

O INI é uma unidade da Fiocruz criada em 2010, voltada para a pesquisa clínica, ensino, serviços de referência e assistência a doenças infecciosas. Integra diversas redes nacionais e internacionais de pesquisa clínica e oferece diversos serviços de saúde, sempre vinculados às suas atividades de ensino e de pesquisa.  Anteriormente à implementação desse novo projeto, o INI trabalhava com software livre e toda sua infraestrutura utilizava máquinas Linux.

“Começamos a sentir que precisávamos facilitar e potencializar a velocidade dos serviços executados. Como eu já havia trabalhado com a Fortinet anteriormente e conhecia a robustez dos produtos, entrei em contato com a ITGX para uma apresentação e assim demos início ao projeto de reformulação da TI”, conta Diogo Dias, gerente de redes para o Serviço de Tecnologia da Informação – SETIC na Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz.

Segundo Dias, uma das principais necessidades do INI naquele momento era o de segmentar o acesso dos usuários à internet. Por se tratar de um instituto de pesquisas com serviços hospitalares e de ensino, o recurso de segmentação por níveis de acesso era primordial. “O filtro web fornecido pelo FortiGate nos possibilitou restringir e liberar o acesso em decorrência dos perfis dos usuários. Por exemplo, professores e alunos podem acessar vídeos durante a aula, sendo que para outros setores o streaming de vídeos é bloqueado. Tanto o acesso para fins de pesquisa como para pacientes e visitantes é gerenciado via FortiGate e autenticado via FortiAuthenticator”, explica. Além disso, após a implementação das soluções o INI identificou um ganho no desempenho de acesso de aproximadamente 20% em relação ao período anterior. “Ganhamos um acesso à internet fantástico, tanto em velocidade quanto em desempenho”.

Como a TI pode ajudar a garantir o futuro da saúde no Brasil

Artigo anterior

IBM e Pfizer criam sistema para apoiar pacientes com Parkinson

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News