NewsNewsletter

Docpass quer democratizar acesso à telemedicina ao usuário final

0

Acaba de chegar ao mercado brasileiro a Docpass, plataforma de consultas online com foco no atendimento ágil, de fácil acesso e humanizado para a população. O novo serviço voltado para o usuário final espera chegar ao fim de 2021 com 1 milhão de pacientes em sua base e 500 mil atendimentos realizados em todas as regiões do Brasil, por meio de consultas avulsas e com uma rede de mais de seis mil médicos de referência no mercado. Para 2022, a previsão é atender 1 milhão de pacientes ao longo do ano, chegando a 2 milhões de vidas cadastradas.

O serviço pode ser acessado pelo celular (aplicativo próprio, disponível nos sistemas Android e iOS) ou computador (desktop), onde os pacientes conseguem agendar e realizar consultas com um médico generalista ou diretamente com um especialista. O tempo de espera é de menos de 10 minutos e cada atendimento pode durar de 20 minutos a 1 hora, dependendo do nível de complexidade da demanda do paciente e da especialidade. Dentre as mais de 20 especialidades disponíveis estão: clínica geral, cardiologia, pediatria, ginecologia/obstetrícia, pneumologia, cirurgia geral e plástica, mastologia e psiquiatria. O modelo é de consultas avulsas, com pagamento por cartão de crédito e débito, em que a sessão custa a partir de R$ 79,00, no caso de consulta com clínico geral, e podendo variar de R$ 100,00 a R$ 150,00 nos casos das outras especialidades.

A Docpass nasce da Conexa Saúde, plataforma independente de telemedicina na América Latina, que já realizou mais de 1 milhão de consultas e atende mais de 5 milhões de vidas, contando com cerca de 10 mil profissionais de saúde cadastrados. Recentemente, a Conexa recebeu um aporte de R$ 40 milhões dos fundos de investimentos General Atlantic (GA), família Fraga e e.Bricks Ventures.

Por fazer parte deste grupo de referência, a Docpass chega com uma curadoria médica formada por profissionais de saúde qualificados para oferecer o melhor atendimento a distância. Inclusive, no conselho médico da empresa estão nomes de referência como Ben-Hur Ferraz Neto, cirurgião especializado em transplante de fígado do Oswaldo Cruz e Roberto Botelho, médico cardiologista e diretor do Instituto do Coração do Triângulo e de suas Divisões de Cardiologia Intervencionista e Pesquisa Clínica.

“Decidimos entrar nesse mercado voltado ao público final porque queremos ser protagonistas no caminho da democratização do acesso à saúde de qualidade, garantindo atenção para a toda a população. Acreditamos que o modelo de consultas online também é uma forma de humanizar a relação médico-paciente que, muitas vezes, é afetada pela correria e lotação dos consultórios e hospitais. Assim, por meio dos nossos médicos e de uma tecnologia de fácil acesso, podemos levar mais saúde a quem busca atendimento imediato”, afirma Guilherme Fraga, sócio da Conexa Saúde e diretor do produto Docpass.

Além da teleconsulta médica, a Docpass planeja lançar também sessões de telepsicologia, prática regulamentada no país desde 2018. “Nos últimos anos, temos observado um aumento substancial na demanda por atendimento psicológico virtual. Com tantos desafios à nossa saúde mental atualmente, atuar nessa outra frente é quase como uma missão de vida”, afirma Fraga.

Parcerias em vista

Para facilitar ainda mais o acesso ao serviço, a Docpass está firmando uma série de parcerias com empresas para estar presente em todos os lugares em que o consumidor estiver. Uma das iniciativas nesse sentido será montar totens de atendimento nas maiores redes de farmácias do país, como Raia Drogasil (RD), Panvel e Pague Menos.

“Cerca de 70% dos cuidados diários de saúde podem ser feitos por consultas online. Um atendimento realizado neste modelo traz diversos benefícios para o paciente: além de evitar idas desnecessárias ao pronto-socorro ou consultório, também evita gastos extras com deslocamento e de tempo que poderia ser usado para outros fins”, reforça Fraga.

O “boom” da telemedicina

As consultas online foram liberadas e regulamentadas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pelo Ministério da Saúde por conta do isolamento social durante a crise da Covid-19. A medida é válida em caráter excepcional no período da pandemia e tem mostrado seus benefícios, como agilidade e praticidade ao médico e ao paciente.

Impulsionada pela necessidade de contenção da pandemia do novo coronavírus e de desafogar o sistema de saúde, a Conexa viu sua carteira de vidas aumentar de 100 mil para 1 milhão em apenas uma semana depois que começou a pandemia. O número de consultas por telemedicina por dia cresceu em 25 vezes.

“Nossa tecnologia está tendo um papel crucial em meio a esse contexto, se provando como uma maneira segura para pacientes e médicos manterem o contato necessário. Isso tem uma série de efeitos positivos para a sociedade e mostra que a telemedicina tem toda a condição de prosperar também depois da pandemia. Por acreditar que ela veio para ficar é que estamos lançando a Docpass”, afirma Guilherme Weigert, médico empreendedor e CEO da Conexa Saúde.

Em termos de infraestrutura tecnológica, a empresa já vinha se preparando para o crescimento da demanda. Isso viabilizou uma arquitetura tecnológica altamente escalável, pronta para fazer esse lançamento.

IA da Intel otimiza medições fetais por meio de ultrassom inteligente da Samsung Medison

Artigo anterior

Startup brasileira lança Consultório Digital para facilitar o dia a dia dos médicos

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News