News

Software de gestão hospitalar foca na segurança ao paciente

0

A Wareline do Brasil apresentará na Hospitalar 2017  soluções e módulos de seu sistema de gestão hospitalar  essenciais para o suporte gerencial dos hospitais, pois contribuem para a segurança do paciente e sua experiência junto às instituições de saúde.

A importância desse cuidado com o desenvolvimento de soluções voltadas para a atenção ao paciente vem de encontro com uma situação preocupante que o mundo todo enfrenta atualmente. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que das 421 milhões de internações que ocorrem todos os anos no mundo, 10% são registros de eventos adversos que vão desde administrações equivocadas de medicamentos até óbitos. Na realidade brasileira, estima-se que haja entre 104.187 a 434.112 óbitos ao ano que podem estar associados a eventos adversos assistenciais hospitalares.

Segundo especialistas, esse tipo de evento é atribuível a um erro evitável, que em geral não é intencional ou omissão de um profissional, e sim causado por um conjunto de fatores, como:

– Erro de execução: uma ação planejada de assistência que não é concluída como o previsto;

– Erro de projeto: estabelecimento de um plano terapêutico inadequado para alcançar um objetivo;

– Desvio do processo de cuidado que pode ou não causar danos ao paciente.

Entre os mecanismos para diminuir a ocorrência de eventos adversos e aumentar a segurança do paciente estão a transparência e o acesso à informação, um direito dos pacientes e de seus familiares, que podem ser elucidados por meio da tecnologia.

Nesse sentido, o software de gestão hospitalar da Wareline é ferramenta relevante para o armazenamento e compartilhamento de dados, contribuindo com o processo de segurança assistencial. “Se o paciente toma a medicação prescrita, se ele está corretamente identificado, se o hospital está livre de infecções, em todos esses processos o software está presente contribuindo com a segurança não só dos pacientes, mas salvaguardando os funcionários e a instituição como um todo. O que reflete em um atendimento com muito mais qualidade e na satisfação do paciente. A tecnologia da Wareline propicia aos médicos, enfermeiros e profissionais ligados à assistência um workflow completo de gestão clínica, que padroniza as rotinas administrativas e deixa os profissionais focados no que realmente importa, a segurança e atenção de seus pacientes”, enfatiza Raphael Castro, Gerente Comercial da Wareline.

Rotinas do Software

Algumas rotinas são decisivas para a maior segurança dos pacientes e para o bom funcionamento do fluxo de trabalho no dia a dia das instituições de saúde. E o software ajuda a organizá-las de maneira que contribuam para a melhor assistência:

– Protocolos de Enfermagem: a equipe de enfermagem está na linha de frente no contato com pacientes e possui uma rotina de trabalho que envolve muitos processos. Para executá-los, além de seguir os protocolos e regras de órgãos nacionais e internacionais, os enfermeiros precisam de suporte para o controle de medidas clínicas do paciente. Estes protocolos trabalham o fluxo da gestão assistencial da enfermagem, o domínio permanente de medidas clínicas do paciente, além de escalas de enfermagem e passagens de plantão.

– Controle dos pacientes pré e pós-cirúrgicos: é focado no acompanhamento do paciente durante a cirurgia; aqui é feito o agendamento de procedimentos cirúrgicos com controle pós e pré-cirúrgicos, são agregados os indicadores estatísticos, realizada a indicação de potencialização de infecções de acordo com classificação internacional e feita a integração com o setor de suprimentos para preparação de kits cirúrgicos.

Programação de tratamentos oncológicos: faz o controle e preparação de procedimentos de radioterapia obtendo sinergia com equipamentos de aceleração nuclear e possibilita a prescrição eletrônica de radioterapia. Também realiza o cadastro do protocolo de quimioterapia e o planejamento do tratamento do paciente.

Dentro do sistema, a Wareline possui rotinas complementares de apoio clínico, que contribuem ainda mais para a segurança dos pacientes:

– Classificação de Risco: Quando um paciente chega ao hospital, passa por uma triagem de cores que serve para classificar o risco do que ele apresenta. Por meio da Classificação de risco, uma das rotinas do módulo, é entregue um questionário de avaliação feito pelos enfermeiros ou customizado de acordo com os parâmetros de cada instituição.

– Controle de Infecções Hospitalares: Esse é um dos módulos mais importantes do sistema, pois atua diretamente no controle das infecções hospitalares. Obrigatoriamente atrelado ao módulo PEP (Prontuário Eletrônico do Paciente), ele avalia a eficácia de antibióticos de acordo com o diagnóstico de exames.

– Interações Medicamentosas: Esse módulo também é primordial para a segurança do paciente, pois permite ao médico verificar as reações a interações medicamentosas, evitando que esse paciente tome um medicamento errado e tenha seu quadro de saúde agravado.

Com a interação dos módulos Centro Cirúrgico e Anestesia é possível um acompanhamento preciso do paciente. Por meio de um gráfico, acompanha a iniciação até a finalização da anestesia, a temperatura corporal, pressão arterial, pulso, entre outros. Ele garante também que os dados da cirurgia sejam legíveis e padronizados, e permite o compartilhamento em tempo real da informação para que não fique restrita somente ao prontuário físico, ficando disponível no histórico do paciente.

Pixeon apresenta soluções de mobilidade para área da saúde

Artigo anterior

ABB investe no mercado de infraestrutura hospitalar

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News