GestãoNewsNewsletter

Azul adere à telemedicina para garantir cuidado mais eficiente aos colaboradores

0

Entre as empresas que aderiram aos planos de saúde digitais durante a pandemia está a Azul Linhas Aéreas que, frente aos desafios enfrentados no último ano, percebeu a importância de oferecer uma experiência médica melhor e mais próximas aos colaboradores. “A Azul tem a inovação em seu DNA. Nascemos de inciativas de inovação pautadas na experiência do cliente. Por isso, acreditamos que estar presente na era digital deve englobar todas as diretrizes da empresa, inclusive o bem-estar dos colaboradores”, conta Dr. André Di Guimarães, Médico do Trabalho na empresa aérea. 

A empresa utiliza a plataforma Docway, que conta com uma base própria de mais de 4,5 mil médicos e mais de 10 milhões de beneficiários. “O setor aéreo é extremamente regulado e focado em segurança, o que exige dos prestadores de serviço um determinado grau de flexibilidade, principalmente para acompanhar uma população de aeronautas que demandam de cuidado especial”, diz Carolina Pampolha, head de Operações da Docway. 

Para atuar de forma relevante, a startup desenvolveu protocolos médicos específicos para o cliente. “Seguimos quatros passos simples: estar aberto pra entender a realidade e se adaptar às necessidades dos clientes; ir além do atendimento empresarial e focar na experiência do paciente; ter como referência bons protocolos assistências e trazê-los para a realidade da telemedicina; e acompanhar periodicamente as situações, visando a promoção geral da saúde”, explica.  

A preocupação com a personalização do cuidado foi um dos motivos que levou a Azul a escolher a solução. “Nossa preocupação sempre foi com a jornada do paciente, no caso o time de tripulantes. Ter acesso à uma solução customizada desde o primeiro acesso tem sido fundamental pra gente acompanhar a evolução dos quadros internos de saúde e ter a tranquilidade de implementar a telemedicina”, comenta André. Além de todo o acompanhamento médico, a Docway gera alertas aos enfermeiros para que haja um acompanhamento contínuo à saúde do paciente, permitindo que o tripulante de reestabeleça o quanto antes e volte a voar com segurança.  

O próximo passo, segundo o Médico do Trabalho da Azul Linhas Aéreas, é investir na comunicação interna para que todos tenham a telemedicina como referência. “Além dos benefícios financeiros, já percebemos um ganho de experiência bastante considerável para o paciente, com tratamento qualificado. É um alívio ter um sistema rodando 24 horas por dia, sete dias na semana, e inerente a realidade dos tripulantes”, finaliza. 

A confusa e trapalhona decisão da OMS sobre a Síndrome de Burnout

Artigo anterior

TOTVS lança soluções de pagamentos via cartão de crédito e PIX para cooperativas médicas

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais Gestão