News

FSP realiza evento para conscientizar sociedade sobre segurança dos pacientes

0

No dia 17 de setembro próximo, a FSP – Fundação para Segurança do Paciente, capítulo brasileiro da Patient Safety Movement, dos Estados Unidos, realizará um trabalho de divulgação e conscientização da população sobre a questão de eventos adversos na área de anestesia.

Segundo Aline Yuri Chibana, presidente da entidade criada em dezembro do ano passado, e profissional do AC Camargo Câncer Center, o evento marca o Dia Internacional da Segurança do Paciente, que será realizado em países como Alemanha, Suíça, Áustria e agora Brasil, para dar maior transparência ao tema entre os profissionais, pacientes, familiares, instituições, empresas e sociedade em geral.

Outra iniciativa para conhecimento sobre segurança do paciente está sendo realizado pelo cientista de dados Ricardo Cappra, especialista em Business Analytics, que recentemente realizou um trabalho com a Unicef sobre o problema do Zika Vírus, além de já ter trabalhado na campanha do presidente Obama e empresas como Microsoft, Globo, Petrobras, Coca-Cola e Americanas.

Aline explica que o especialista está pesquisando no mundo todo tudo ao que ser refere com segurança do paciente, para entregar um relatório detalhado para que entidade tenha uma melhor compreensão e avaliação sobre as questões globais em relação ao tema, uma vez que existe muito pouca pesquisa e informação sobre o assunto.

Os dados da entidade norte americana diz que problemas relativos à segurança do paciente são a terceira causa de morte nos Estados Unidos, superada por câncer e problemas cardiovascular, contabilizando cerca de 400 mil casos. “No Brasil não existem dados sobre o assunto. Apenas trabalho feito pelo pesquisador da Fiocruz, Valter Mendes, no ano de 2013 mostrando que aconteceram 7,6% dos eventos adversos, dos quais 66,74 % poderiam ser evitáveis”, explica.

A entidade também apoia um aplicativo criado pelo Dr. Christian Englert, da Sociedade de Anestesiologia de São Paulo – SAESP, pelo qual, os profissionais de saúde podem comunicar de forma sigilosa os incidentes acontecidos durante e após as cirurgias, com o objetivo de gerar uma base de dados para se entender melhor os procedimentos.

HC da Unicamp implanta beacons para monitoramento de pacientes

Artigo anterior

Fórum Saúde Digital tem inscrições promocionais até sexta-feira

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News