InovaçãoNewsNewsletter

Healthech Precavida usa IA para trazer mais eficiência na jornada da saúde

0
Dra. Lucila de Campos e Laís Fonseca, fundadoras da Precavida

Você já teve dificuldade para encontrar o médico certo para resolver o seu problema? Teve que passar em vários locais e especialistas ter uma resolução do seu caso? Essa situação é extremamente comum. Cerca de 2/3 dos usuários de sistemas de saúde, tanto privado, quanto público, considera insuficientes as informações que lhe são passadas quanto ao funcionamento e às possibilidades de utilização dos serviços de saúde. Mais de 80% da população brasileira não está satisfeita com seu sistema de saúde.

Um dos principais motivos do descontentamento dos pacientes é que se sentem perdidos no processo. Ao não conseguir encontrar o médico adequado na hora certa, passam a usar o sistema de forma equivocada, o que provoca perda de tempo, ânimo, recursos e, claro, impacta a sua saúde. Estima-se que o uso incorreto e desperdícios dos planos de saúde geram um impacto de aproximadamente R$ 15 bilhões por ano, segundo a ANS.

A recém-lançada startup Healthtech Precavida é um navegador personalizado com inteligência artificial, que chega com o objetivo de suportar o paciente em sua jornada de saúde. A ferramenta desenvolve uma experiência de acolhimento simples e eficiente que estreita as relações entre usuário e operadoras/seguradoras, aumentando sua satisfação. Por meio da gestão global das demandas e, ao mesmo tempo, de um atendimento personalizado ao paciente, a navegação de saúde promove mais assertividade, rapidez, redução de custos e sustentabilidade na cadeia de saúde. A Precavida foi fundada por três brasileiras em Boston (EUA) – Laís Fonseca, Lucila de Campos e Mônica Simão -, dentro do MIT (Massachusetts Institute of Technology), em 2019, e chegou recentemente ao Brasil.

De acordo com Laís Fonseca, co-founder & CEO da empresa, a tecnologia interpreta o que o usuário está sentindo e dá recomendações que facilitam as suas escolhas. “Com o método de concierge e com o acompanhamento do nosso time, melhoramos a experiência do paciente, a assertividade dos diagnósticos médicos e reduzimos o tempo de espera, o que afeta diretamente na prevenção de uma possível piora do quadro e nos gastos extras”, frisa a fundadora.

Lucila de Campos, co-founder e diretora médica da Precavida, afirma que esse serviço pode ser oferecido dentro de grandes empresas, o qual gera um acompanhamento individualizado dos colaboradores, otimizando as co-participações. Outra vantagem de quando é disponibilizado para operadoras de saúde é a vivência personalizada oferecida aos beneficiários em um sistema já existente, pois reduz a taxa de sinistralidade. “As operadoras ainda têm diminuídos os desperdícios e fraudes com a utilização de inteligência de dados de ponta a ponta, tendo assegurado o alto padrão dos serviços de concierges e dos profissionais médicos”, explica Lucila.

Como funciona

A experiência se inicia quando o paciente investiga seus sintomas antes de seguir para o pronto atendimento ou quando ele não sabe ao certo qual ação tomar. O acesso à tecnologia é muito simples e intuitivo: o atendimento é via Whatsapp, ligação telefônica e website responsivo ao celular.

Ao inserir na plataforma as informações sobre o que está sentindo a ferramenta de inteligência artificial entende os sintomas do usuário e aponta três parâmetros: possíveis acometimentos da saúde, especialista médico recomendado e nível de urgência. O sistema cruza os dados e prioriza uma lista de doutores recomendados para a resolução do caso, dentro dos critérios de maior conveniência e efetividade para o paciente. O concierge ainda auxilia na marcação da consulta no especialista indicado e faz o acompanhamento até o desfecho clínico, garantido que o paciente seja cuidado ao longo da jornada dentro do sistema em uma relação humanizada e de confiança. O resultado é retroalimentado para melhorar o sistema de recomendação dos algoritmos e personalizar a experiência.

Motivação

A história da Precavida se confunde com a realidade de sua idealizadora. Lais foi movida a resolver o problema de acesso a saúde de qualidade quando sua mãe foi diagnosticada com câncer e teve dificuldade em encontrar o médico e o serviço corretos, a um preço acessível, para sua família. “O sentimento de estar perdida e não achar o especialista adequado é muito comum para as pessoas que acabam em filas de espera, indo em múltiplos doutores e gastando muito com saúde”, conta. Foi aí que Lais executou um modelo de conexão entre pacientes e médicos alcançando mais de 100 mil vidas e provou que esse método funciona. Com um time de alto impacto, a empresa visa aplicar o sistema em todo o Brasil e América Latina.

A Precavida teve como investidor a universidade americana MIT no seu programa de aceleração. A empresa também participou da Techstars, um dos maiores programas de aceleração de startups, que conta com mais de 2 mil startups em seu portfólio e com valor de mercado de mais de 26 bilhões de dólares.

São Paulo terá clínica de medicina materno-fetal em março

Artigo anterior

Em tempos de crise, bem-estar ganha importância nas empresas

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar