NewsNewsletter

Amparo Saúde recebe aporte de R$ 25 milhões

0

A Amparo Saúde, healthtech especializada em atenção primária e medicina da família, acaba de anunciar nova rodada de investimento, no valor de R$ 25 milhões. O aporte foi liderado por um grande Family Office brasileiro, acompanhado pelos atuais investidores e nomes renomados no mercado de saúde como José Luiz Setúbal e Grupo Sabin. A startup iniciou suas operações em julho 2018 com três unidades presenciais e logo no primeiro ano já chamou a atenção do setor pelo modelo de negócio e assertividade, com um faturamento de 10 milhões de reais já em 2019, 20 vezes maior que no ano anterior. Atualmente, com 11 unidades e capacidade para 28 mil teleatendimentos por mês, a empresa saltou de 45 mil para 1 milhão de vidas nos últimos meses.

Com crescimento acelerado, em dois anos de funcionamento a Amparo Saúde chega ao valor de R$ 67 mi em investimentos recebidos – contando os R$ 25 mi dessa rodada – e pretende investir ainda mais no modelo in company já estabelecido em grandes empresas como ASSEFAZ, além de apostar em telemedicina, que neste momento representa 85% dos atendimentos. “Somos uma empresa de tecnologia com foco em atenção primária, portanto todos os planos sempre foram voltados aos cuidados aliados à tecnologia. O momento que estamos vivendo acelerou uma mudança de comportamento do brasileiro e a cultura da telemedicina veio para ficar. Oferecemos toda a estrutura necessária para atender o mercado de saúde, seja operadoras, empresas de autogestão, médicos e pacientes, por isso crescemos tanto em tão pouco tempo” conta Emilio Puschmann, CEO da startup.

Criada por Emilio Puschmann – executivo com carreira consolidada em bancos de investimento e private equity internacionais, além de mercado brasileiro de tecnologia -, a empresa tem como objetivo mudar o cenário de saúde no Brasil já saturado dos altos custos, grandes desperdícios e atendimento insatisfatório. O modelo chamou atenção de grandes operadoras como Amil, Sul América, Omint, Seguros Unimed, CarePlus e empresas de autogestão como ASSEFAZ e Petrobras. Além dos investidores, que enxergam o modelo como um ecossistema integral de cuidado com a saúde. “Esse novo aporte vem para reforçar a demanda do mercado por um serviço necessário, que realmente cuida de cada paciente e quer tornar o sistema de saúde mais sustentável”, finaliza o CEO, que continua como sócio majoritário da startup.

5 motivos pelos quais a receita digital deve permanecer após a pandemia

Artigo anterior

Prudential do Brasil faz parceria com Vitality para incentivar qualidade de vida

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News