News

ANS e OPAS querem mapear experiências de atenção primária

0

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) lançou, em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o edital do Laboratório de Inovação sobre Experiências de Atenção Primária na Saúde Suplementar Brasileira. A iniciativa pretende realizar um mapeamento das experiências no setor privado da saúde com modelos baseados na atenção primária e na medicina de família e comunidade.

“O objetivo é reunir informações que ilustrem como o setor está respondendo às mudanças demográfica e epidemiológica, que implicam um aumento da carga das doenças crônicas não transmissíveis e demandam respostas mais efetivas do modelo assistencial prevalente na saúde suplementar”, destacou Fernando Leles, da OPAS.

Todas as experiências inscritas serão catalogadas e divulgadas em uma publicação conjunta da ANS e da OPAS.  As instituições que tiverem seus projetos selecionados receberão um certificado de reconhecimento do projeto e poderão apresentar suas experiências em seminário a ser realizado ainda este ano. O prazo de inscrição termina no dia 1º de setembro, e a iniciativa está aberta a todas as operadoras de saúde do país.

Oficina Promoprev

A iniciativa foi lançada na 3ª Oficina do Grupo Técnico de Promoção da Saúde e Prevenção de Riscos e de Doenças (Promoprev) da ANS. Liderado pela Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos do órgão regulador, o Grupo tem o objetivo de discutir novas diretrizes e incentivos para a mudança do modelo assistencial e desenvolvimento de programas de promoção da saúde e prevenção de riscos e de doenças pelas operadoras de planos de saúde.

“A saúde suplementar brasileira enfrenta importantes desafios para a coordenação do cuidado prestado nos diferentes níveis de complexidade da sua rede, o que resulta em um cuidado, muitas vezes, fragmentado e centrado em procedimentos. Com esse pano de fundo, o Grupo Técnico, composto por representantes do setor, pesquisadores e técnicos da ANS, discutiu sobre a proposta de modelagem dos programas de Promoprev em três níveis de complexidade, de acordo com a intensidade do cuidado”, explicou a diretora de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS, Karla Coelho.

Durante o debate foram discutidas questões como a importância do registro eletrônico em saúde e a interoperabilidade dos sistemas para a gestão das informações nas operadoras, além da necessidade de um novo olhar diante da rotatividade dos beneficiários.Com informações da Agência ANS.

ANS apresenta novos modelos de remuneração para operadoras de saúde

Artigo anterior

Hospital Paulista invés tem novos equipamentos para cirurgia de Otorrinolaringologia

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News