NewsNewsletter

Com investimentos de R$ 90 milhões e recorde de aporte em saúde, Sami se prepara para virar operadora de planos de saúde

0

A healthtech Sami anuncia a maior rodada Série A já registrada em uma startup de saúde na América Latina. O novo aporte, de R$ 86 milhões, foi co-liderado pela Valor Capital Group e pela monashees e se soma aos investimentos de nomes como Redpoint eventures e Canary. Esses são quatro dos cinco fundos mais ativos no Brasil e estão por trás de sete dos 13 unicórnios brasileiros.

Fundada em 2018, a Sami traz soluções para os principais problemas do sistema de saúde, como alto custo, ineficiência e baixa qualidade no atendimento médico. Com essa proposta, vem atraindo a atenção do mercado nacional e internacional: até agora, já são mais de R$ 90 milhões em investimentos recebidos.

O anúncio também marca a transformação da startup em uma operadora de planos de saúde, passando a atender empresas de pequeno porte e profissionais liberais em São Paulo. Com a regularização do uso da telemedicina no Brasil, os fundadores Vitor Asseituno e Guilherme Berardo entenderam que este é o momento certo para ajudar a tornar a saúde mais digital. Juntos, eles somam anos de experiência na área, além de contar com grandes lideranças do setor que se juntaram à empreitada.

O Brasil é o 2º maior mercado privado de saúde do mundo (atrás apenas dos Estados Unidos), mas enfrenta custos crescentes: em 2018, a média de reajuste dos contratos de planos coletivos foi de 13,32%. Entre 2013 e 2018, a inflação dos planos empresariais chegou a impressionantes 158,35%. A Sami busca mudar esse cenário por meio de uma relação de confiança e tecnologia a serviço da saúde, reduzindo desperdícios e aumentando a eficiência.

“A Sami quer melhorar o atendimento ao paciente e também beneficiar todo o sistema, que precisa com urgência de uma transformação. Hoje encontramos um mercado de contratação difícil e burocrática que oferece planos caros e sem qualidade, valorizando mais a quantidade de procedimentos do que a orientação e o cuidado coordenado de saúde. As pessoas pagam caro e na hora que precisam não conseguem usar”, explica Dr. Vitor Asseituno, médico fundador e presidente da startup. “Na Sami somos norteados por valores como inteligência na saúde, confiança na relação e respeito ao tempo e dinheiro dos envolvidos. Isso nos leva a um serviço que preza pelo histórico médico coordenado com outros profissionais, uma medicina preventiva com um time de saúde disponível 24 horas por dia pelo aplicativo e muito respeito e transparência em todo o processo”, completa

Para Michael Nicklas, sócio da Valor Capital Group, o setor necessita de uma atuação disruptiva. “É por meio de tecnologia que o mercado de saúde vai se empoderar e Sami está aplicando isso, com transformação digital, trazendo transparência e aumentando a interação dos usuários. Com isso, há ganhos de eficiência para as empresas e para o ecossistema como um todo”, afirma.

Segundo Caio Bolognesi, sócio da monashees, a virada de operação será uma grande transformação no setor. “Estamos muito felizes com a parceria com a Sami. Enxergamos no time empreendedores motivados a lançar muito mais do que um novo plano de saúde – eles estão repensando todos os incentivos ao longo da cadeia de saúde para promover um cuidado melhor aos seus clientes, com um custo muito mais atrativo para as empresas. Uma equação em que todos saem ganhando”, aponta.

Para Rodrigo Baer, Partner da Redpoint eventures, é preciso repensar completamente o setor. “Com os incentivos desalinhos e a falta de gestão, o custo dos planos de saúde tem crescido de maneira insustentável, ou seja, cada vez menos pessoas conseguem pagar. A Sami se propõe a redesenhar o sistema de saúde, alavancando a disponibilidade de dados e o acompanhamento do paciente, para garantir atendimento de qualidade e custos controlados.”

O que a plataforma oferece

Com a nova rodada de capital, a Sami será pioneira na gestão de toda a cadeia de valor da saúde, da contratação à alta hospitalar, passando por consultas, exames e procedimentos. A plataforma vai oferecer atenção primária ao usuário e direcionamento médico 24 horas por dia, unindo a praticidade do digital, o cuidado necessário ao paciente e a sustentabilidade que o setor precisa para tornar a saúde mais acessível no Brasil.

A partir de agora, quem morar em São Paulo e possuir CNPJ poderá se inscrever em uma lista de espera com condições especiais pelo site http://www.samisaude.com.br. Os primeiros clientes terão 1 ano grátis de Gympass, plataforma de benefício corporativo de bem-estar, com mais de 24.000 academias e mais de 40 aplicativos de saúde como ZenKlub, Mobills e BTFit. O produto deverá ser disponibilizado em novembro para quem se inscreveu na lista.

A Sami oferece uma rede com qualidade superior aos outros modelos do mercado, e a um valor mais acessível. Para conquistar o preço competitivo, a empresa criou uma relação de parceria com os credenciados, deixando de tratá-los apenas como prestadores de serviços, além de oferecer uma remuneração com base na qualidade e não no volume de atendimento. O primeiro hospital parceiro da Sami será a BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, onde a empresa também tem uma clínica para atendimento primário. A rede laboratorial utilizada nesse primeiro produto será a do Labi, com mais de 15 unidades na Região Metropolitana da cidade.

A Sami tem ainda três sócios muito conhecidos: Paulo Veras, ex-CEO e fundador da 99 (primeiro unicórnio brasileiro); Sérgio Ricardo dos Santos, ex-CEO da Amil, e Alan Warren, ex-Vice-Presidente do Google, criador do Google Drive e ex-CTO da Oscar Health, operadora digital de planos de saúde investida pelo Google que recentemente anunciou IPO para o próximo ano.

Como a IA pode ser usada a favor da Medicina

Artigo anterior

Startup lança assistente de comunicação por voz humana para hospitais com proteção Blockchain

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News