Home Inovação Para 71% dos médicos brasileiros, IA pode ser aliada na tomada de decisão clínica

Para 71% dos médicos brasileiros, IA pode ser aliada na tomada de decisão clínica

por Redação
0 comentário

A GE HealthCare lança o “Reimagining Better Health”, estudo que ouviu pacientes e médicos de oito países da América do Norte e do Sul, Europa e região Ásia-Pacífico sobre o futuro da saúde. Os resultados revelam que muitos dos desenvolvimentos que estão impulsionando o sistema são também uma fonte de desafios. Embora o estudo tenha encontrado confiança tanto de pacientes como médicos no uso de soluções de tecnologia para melhorar os tratamentos, os profissionais também observam no tema possíveis dificuldades para os médicos do futuro. 

“A tecnologia tem trazido disrupções importantes para diversas áreas do nosso cotidiano, como é o caso do setor da saúde. Entretanto, é inegável que médicos e pacientes precisam estar preparados e informados para lidar com as mudanças que a inovação vai trazer”, comenta Marina Viana, Diretora Executiva da GE HealthCare Brasil. 

Um objetivo unificado 

Em termos de expectativas sobre o que deve vir pela frente, 100% dos médicos brasileiros concordam com a definição do futuro como aquele em que pacientes e equipes de atendimento estão mais intimamente ligados em uma parceria por meio de soluções tecnológicas; o atendimento e o tratamento médico ocorrerão dentro e fora dos ambientes clínicos tradicionais, como nas casas dos pacientes; e o ecossistema de saúde é expandido para incluir uma gama mais variada de profissionais de saúde, alguns dos quais podem não estar presentes hoje. 

Futuro da saúde 

Para os médicos do Brasil, as barreiras mais importantes para o futuro se tornar uma realidade são infraestrutura de tecnologia subdesenvolvida, planejamento ineficaz da força de trabalho e falta de habilidades tecnológicas nas equipes de saúde. Além disso, os médicos elencaram os seguintes conjuntos de habilidades como críticos para os profissionais do futuro: grau de instrução em tecnologia (30%), atendimento virtual ao paciente (26%) e soft skills para colaboração com pacientes e equipes (19%). 

Já para os pacientes, os desafios são o acesso a soluções tecnológicas que permitam antecipar a detecção, avaliação e tratamento de suas condições de saúde. 

Perspectivas sobre a tecnologia na saúde 

Atualmente, as tecnologias de Inteligência Artificial na área de saúde são projetadas para melhorar a experiência e os resultados do paciente, automatizar tarefas e aumentar a produtividade. Para 64% dos pacientes do Brasil, as soluções de tecnologia estão ajudando a tornar o tratamento mais conveniente. 60% também acreditam que os médicos usam ativamente dados de saúde e evidências para fornecer o cuidado certo e 58% acham que os médicos têm acesso à tecnologia certa, que os ajuda a tratar e melhorar a saúde do paciente. 

Quando questionados sobre o uso de Inteligência Artificial, 71% dos médicos acham que essa tecnologia pode suportá-los na tomada de decisão clínica, 68% acreditam que a IA pode ajudar a reduzir as disparidades de cuidados e 66% entendem que ela permite intervenções de saúde mais rápidas. 

“Diante dos dados deste estudo, quando pensamos no futuro da saúde precisamos definir um objetivo claro – um sistema de saúde tecnológico, eficiente e humano. A GE HealthCare está compartilhando estes dados para incentivar discussões, parcerias e ações com as partes interessadas em todo o setor em prol de um futuro melhor para todos”, finaliza Marina.

 Sobre Reimagining Better Health   

O estudo Reimagining Better Health inclui uma pesquisa quantitativa com 2.000 médicos e 5.500 pacientes e defensores dos pacientes, bem como entrevistas qualitativas com 24 especialistas em saúde em oito países da América do Norte e do Sul, Europa e região Ásia-Pacífico. Essa amostragem cruzada considerou a diversidade de maturidade econômica, geografia e representação de uma forma pura ou híbrida dos quatro modelos básicos de atenção à saúde (Beveridge, Bismarck, National Health Insurance e Out-of-Pocket).   

A pesquisa duplo-cega com amostragem aleatória foi realizada entre agosto e outubro de 2022 por uma empresa terceirizada de pesquisa de mercado. Todos os entrevistados foram questionados sobre sua opinião com base em suas experiências pessoais. As perguntas relativas às soluções tecnológicas abordaram a sua percepção geral e experiência com a tecnologia dentro das suas instalações, incluindo todo o espectro da tecnologia médica, e não fizeram qualquer referência a quaisquer soluções ou fornecedores específicos. O estudo completo pode ser visto aqui.  

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside