News

Fujitsu desenvolve sensor para medição rápida de gases na respiração

0

O Fujitsu Laboratories, centro de pesquisa subsidiário da Fujitsu Limited, anuncia o desenvolvimento de um sensor portátil capaz de coletar e analisar rapidamente a concentração de componentes presentes na respiração, como a amônia – que está presente em baixa concentração na respiração e é associada a doenças relacionadas ao estilo de vida .O sensor torna fácil identificar moléculas que, anteriormente, só poderiam ser encontradas em instrumentos de análise de grande porte.

Adicionalmente, ao aplicar a tecnologia, o Fujitsu Laboratories se torna o primeiro no mundo a ter sucesso em um experimento que detecta seletivamente o nonanal, composto orgânico biomarcador para câncer de pulmão.

Fuj

Ilustração de funcionamento da tecnologia e suas vantagens

A respiração de uma pessoa contém pequenas concentrações de gases que são ligadas às funções corporais e doenças. As substâncias químicas no sangue evaporam nos pulmões e são exaladas. Para verificar a eficiência do sensor, a instituição focou na possível correlação entre amônia e metabolismos vivos e também com a infecção Helicobacter pylori  (H. pylori) – fator de risco para câncer de estômago –. Assim, aplicou a característica adsorvedora de amônia – presente em películas de brometo de cobre – para medir pequenas quantidades da substância na respiração de uma pessoa. Com isso, detectou uma sensibilidade aproximadamente 2.500 vezes maior do que para outros gases, destacando a presença da amônia e a possível existência de questões de saúde correlacionadas a ela.

Ainda, com a utilização da mesma tecnologia, observou-se a formação de uma fina camada de moléculas de amina terciária na superfície do brometo de cobre . Isso possibilitou ao Fujitsu Laboratories produzir o primeiro dispositivo eletônico do mundo capaz de detectar, em concentrações de 200 ppb (partes por bilhão), uma substância chamada nonanal, agente biomarcador que aponta a presença de câncer no pulmão.

O centro de pesquisa tem como objetivo aumentar a variedade de gases que podem ser medidos e incorporar a tecnologia em dispositivos wearables, criando um aparelho que seja tão fácil de usar quanto um termômetro. A expectativa é que a análise possa examinar os componentes da respiração sem a necessidade de internação do paciente e sua implementação prática aconteça até 2018. O objetivo é prover uma tecnologia menos invasiva do que outros métodos que envolvem, por exemplo, constrangimentos físicos ou a recolha de amostras de sangue.

Estudo aponta renúncia de 25,4 bi dos gastos federais em saúde

Artigo anterior

Netdente migra sistema de gestão para Amazon Web Services

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News