ArtigosNewsletter

Saiba como a Inteligência Artificial está otimizando os resultados na saúde

0

Populações em constante crescimento, preocupações com a segurança cibernética, falta de profissionais e custos altos têm pressionado os sistemas de saúde em todo o mundo. Diante da combinação de aumento da demanda por serviços e recursos limitados, os profissionais da área estão se voltando para novas tecnologias como forma de ajudar a aliviar a pressão.

A pandemia do COVID-19 só piorou o cenário ao forçar as instituições de saúde a transformarem a maneira como prestam os serviços. As soluções digitais e de TI estão na vanguarda dessa luta à medida que o setor navega por circunstâncias sem precedentes. Dentro dessas soluções, a Inteligência Artificial (IA) tem se mostrado uma grande promessa para o futuro do setor de saúde. Os rápidos e recentes avanços, além dos desenvolvimentos contínuos no campo, provavelmente transformarão a IA de uma novidade técnica para um auxílio poderoso e indispensável.

A evolução da IA

Como tecnologia, a IA existe desde 1960. À medida que o interesse aumentava e diminuía, o investimento no setor passava por vários ciclos. No entanto, durante cada um desses ciclos, a tecnologia não correspondeu às expectativas e a atenção foi desviada para outro lugar.

Avançando para 2020, a IA se encontra em um lugar muito diferente. Com recursos de processamento modernos, chegou o momento de trazer mudanças positivas para todos os setores. O progresso dessa tecnologia é ainda mais impulsionado pelo aumento considerável nos volumes de dados em todo o mundo. Essas ferramentas funcionam melhor quando aprendem com grandes quantidades de dados, e hoje isso é mais possível do que nunca.

Também no setor de saúde, os volumes de dados estão aumentando a taxas nunca antes vistas. Monitores eletrônicos, varreduras, sensores de saúde e equipamentos de tratamento geram terabytes de dados que podem fornecer percepções detalhadas sobre quais cuidados são necessários e o quão bem sucedidos foram para um paciente.

A IA também está se beneficiando da adoção acelerada de serviços em nuvem. Isso levou a reduções significativas no custo de armazenamento de dados e recursos de computação, o que coloca seu uso nas mãos de organizações e grupos que, anteriormente, não podiam pagar pelo serviço.

Colocando a IA para funcionar

Existem inúmeras maneiras de usar a IA no setor médico e novas oportunidades para aplicá-la estão sendo constantemente identificadas. De aplicações de diagnóstico e tratamento de doenças ao envolvimento do paciente e processos administrativos, essas soluções podem agilizar e ampliar várias áreas no campo da saúde.

Muitos países ao redor do mundo são atormentados por índices desproporcionais de médicos disponíveis. As soluções de IA podem preencher essa lacuna, tornando a saúde mais acessível para a maioria. Por exemplo, algumas ferramentas estão sendo aplicadas em muitas áreas da radiologia, desde ressonâncias magnéticas e raios-X até tomografias computadorizadas. Essas opções podem agilizar os processos de varredura de ressonância magnética com o auxílio de técnicas mais inteligentes de processamento e reconstrução de imagem, podendo até mesmo sinalizar essas varreduras que podem exigir o exame de acompanhamento por um operador humano.

Essas ferramentas também podem ser utilizadas para analisar hemoculturas e outras amostras em busca de sinais de doenças e para verificar os efeitos dos medicamentos prescritos. Além da saúde física, a IA pode ser usada para identificar se um paciente está sofrendo de distúrbios na saúde mental por meio da análise da expressão facial e alterações nos padrões de fala.

Além disso, as soluções de IA podem aprimorar as funções administrativas em clínicas e hospitais. Desde a otimização do gerenciamento do front office, agendamentos de consultas e horários de turnos até a simplificação dos fluxos de trabalho de processamento de documentos para sinistros de seguros, a IA pode auxiliar várias operações no setor de saúde.

Quanto ao seu papel no tratamento da COVID-19, essa tecnologia vem ajudando médicos e radiologistas a identificar a opacidade em vidro fosco por meio de tomografias e raios-X de pulmão. Essas ferramentas também foram usadas para rastrear contatos e conter a propagação do vírus. Uma vez que a vacina for desenvolvida, a IA será capaz de ajudar a determinar quais grupos devem recebê-la primeiro para controlar a pandemia o mais rápido possível. Vários modelos de simulação podem ser projetados para traçar um plano de implementação eficaz para a vacina.

Desafios de  implantação

Embora esteja claro que a IA pode oferecer benefícios significativos para a comunidade médica, ainda existem alguns desafios que podem impedir sua adoção de forma generalizada.

Uma das maiores preocupações na implementação da IA é manter a privacidade do paciente e as informações pessoais de saúde (PHI – Personal Health Information, na sigla original) seguras o tempo todo. Existem também muitos regulamentos, como o HIPAA — Lei de Portabilidade e Responsabilidade do Seguro de Saúde, nos Estados Unidos — que as instituições de saúde precisam cumprir para demonstrar a proteção adequada de registros sensíveis de pacientes. Esses requisitos podem impedir que dados importantes sejam analisados por ferramentas de IA e, assim, reduzir sua eficácia.

Outro desafio ocorre porque os resultados oferecidos pelas ferramentas não são 100% precisos o tempo todo. Eles ainda podem precisar de supervisão humana para garantir que as conclusões sejam exatas. Por esse motivo, é importante lembrar que a IA pode ajudar, mas nunca pode substituir os profissionais de saúde.

Um terceiro desafio decorre do fato de que muitos sistemas médicos e armazenamentos de dados não estão interligados, o que reduz a interoperabilidade dos dados. Isso pode tornar difícil a coleta de dados para análise — quando não impossível —, reduzindo ainda mais o que pode ser alcançado. Essas coisas podem ser superadas, mas isso provavelmente levará tempo e exigirá um investimento financeiro.

Apesar desses desafios, está claro que a Inteligência Artificial tem muito a oferecer ao setor da saúde. Ao analisar grandes quantidades de informações disponíveis e fornecer percepções que os humanos podem deixar passar, a tecnologia pode melhorar significativamente a qualidade do atendimento ao paciente e os resultados.

Priyanka Roy, consultora de produtos da ManageEngine.

Vivo amplia oferta de serviços de saúde com dr.consulta

Artigo anterior

Grupo Fleury entra no mercado de Medicina Reprodutiva

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais Artigos