GestãoNewsletter

Brasil ganha primeira acreditação digital em saúde

0

Gestores, profissionais de saúde e pacientes ganharam um novo aliado para avaliar a qualidade garantindo a segurança de serviços de atendimento a distância. Em uma iniciativa pioneira, a tradicional Acreditação QMentum International, fundada no Canadá desde 1955, criou padrões de qualidade voltados para Saúde Digital, que foram adaptados à realidade das normas regulatórias e assistenciais brasileira. A versão nacional da metodologia foi desenvolvida pelo IQG Health Services Accreditation, juntamente com um grupo de especialistas e está pronta para ser aplicada em todo o território nacional.

O lançamento do manual  alerta para a importância desse tipo de serviço que começa a ser inserido no mercado de saúde e em todos os Players. A telemedicina, teleconsultas, telemonitoramento, entre outras modalidades de cuidado digital, se tornaram comuns, porém agora terão um modelo de acreditação, que visa principalmente a segurança do cuidado e dos dados, a bioética e o respeito à legislação.

Rubens Covello, CEO do IQG e do HSO Brazil, explica que, com a acreditação, parametrizam-se protocolos e manuais de atendimento com ações rigorosamente controladas. “O maior risco é a falta de padrões para normatizar aspectos assistenciais e regulatórios do mercado brasileiro. A falta de padrão pode resultar em danos, as vezes irreversíveis, para a instituição e/ou usuário do sistema digital”, alerta. Segundo Covello, o padrão já está sendo aplicado no Brasil, Canadá, Europa e Oriente Médio.

Para Jadson Costa, diretor de Relacionamento do IQG, a acreditação de Saúde Digital dá mais segurança aos profissionais envolvidos no cuidado, às organizações de saúde e aos pacientes. “Muitas instituições e profissionais da saúde se viram obrigadas a adotar a atendimento digital ,sem qualquer preparo e segurança para o paciente, profissional ou negócio.  É algo temoroso”, aponta.

De olho na qualidade

A Acreditação QMentum International IQG em Saúde Digital foi desenvolvida a partir dos padrões criados pela Health Standards Organization (HSO) e da Accreditation Canada. Para a adaptação brasileira, foram levados em conta aspectos legais e características do sistema de saúde brasileiro. As normas já contemplam a nova Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, prevista para entrar em vigor em agosto de 2020.

A metodologia pode ser usada para avaliação de qualquer serviço que utilize ferramentas de telessaúde para o cuidado, como operadoras de planos de saúde, hospitais, clínicas e laboratórios, consultórios entre outros.

Covello reitera que não existe uma receita pronta para ter uma saúde digital de qualidade. “Cada instituição deve buscar uma solução que atenda às suas necessidades e à realidade de seus clientes. Se submeter à acreditação dará às instituições segurança que seus processos seguem padrões seguros e com exigência internacional”, afirma.

Easy Way to Health e Citrine Consulting lançam solução para retorno seguro ao trabalho

Artigo anterior

ZEISS lança primeiro microscópio 3D digital para cirurgia ocular

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais Gestão