NewsNewsletter

Johnson & Johnson e Dr. Cash criam linha de crédito para cirurgia de catarata

0

A fintech Dr. Cash acaba de anunciar o lançamento de uma linha de crédito específica para cirurgia de catarata com tecnologia de visão de ponta da Johnson & Johnson para equipamento LIO (lente intraocular). Focada em atender uma parcela da população que busca tratamento de forma privada, a startup espera financiar modelos de cirurgias que não são cobertos pela saúde suplementar e pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Nosso objetivo é dar crédito acessível a pessoas que não têm crédito suficiente para fazer a cirurgia de catarata ou que não são cobertas por convênios e pelo SUS. A ideia é unir forças para dar à população o atendimento que ela merece”, afirma o CEO e cofundador da Dr.Cash, Gabriel Meireles.

Há casos em que a cirurgia de catarata é indicada para pacientes com mais de 40 anos. No entanto, a parceria entre as empresas visa atender uma parcela dos 30% dos brasileiros acima de 60 anos que sofrem com a doença, segundo dados do levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A startup Dr.Cash é uma plataforma que financia procedimentos médicos, estéticos, odontológicos e oftalmológicos que facilitam o dia a dia de quem deseja crédito para financiar o procedimento no segmento de saúde e bem-estar, além de oferecer uma nova forma de pagamento aos escritórios.

“Nosso serviço democratiza o acesso à saúde ao possibilitar que a população realize procedimentos e tratamentos médicos, independentemente do plano de saúde e com preços acessíveis e forma de pagamento facilitada”, afirma Lucas Hamú, cofundador do Dr.Cash.

A cirurgia deve ser indicada clinicamente e, sobretudo, após consulta oftalmológica. O processo passa por avaliação pré e pós-operatória. No entanto, a inclusão no pacote de serviços pré-cirúrgicos dependerá de cada clínica.

A doença catarata

Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, a literatura mostra que após os 40 anos, o olho sofre alterações naturais. As proteínas presentes nas lentes começam a oxidar, o que provoca algumas alterações na visão. A doença é definida como a presença de uma opacidade, parcial ou completa, que afeta a lente (pequena lente natural) de um ou ambos os olhos, o que afeta a qualidade da visão. Como resultado, a luz não pode passar pelos olhos corretamente. O resultado disso está na forma de imagens com pouca nitidez, borradas, esbranquiçadas e até amareladas.

O censo realizado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia aponta que a catarata responde por 45% dos 33,6 milhões de casos tratáveis no mundo e 49% dos casos de cegueira no Brasil. Já o estudo do IBGE comprova que as mulheres são as maiores vítimas da catarata, marcando 38,6% contra 29,4% dos homens.

Com base em pesquisas feitas em nove países, a catarata foi considerada a principal causa de cegueira tratável no mundo, segundo a Organização Pan-Americana da Saúde. No primeiro relatório mundial sobre visão publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em outubro de 2019, cerca de 2,2 bilhões de pessoas em todo o mundo são deficientes visuais, ou seja, possuem baixa visão ou cegueira.

Unimed Odonto lança consultora virtual em saúde bucal com Inteligência artificial

Artigo anterior

Ultrassom oferece maior segurança nos procedimentos neurocirúrgicos

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais News