InovaçãoNewsNewsletter

Com uso de tecnologia, perfis epidemiológicos ajudam a otimizar investimentos e atendimentos na Saúde

0

Muito se ouviu falar de perfil epidemiológico nos últimos tempos, mas poucas pessoas sabem de sua importância para o controle de doenças. Perfis epidemiológicos são estudos que têm como objetivo identificar o quadro geral de saúde de uma população específica, possibilitando traçar estratégias mais eficientes na prevenção de doenças, estimular a saúde e colaborar com a Agência Nacional de Saúde Suplementar.

A partir do apanhado de informações demográficas, comportamentais, histórico de saúde e, cruzando estes dados entre faixas etárias, quadros clínicos existentes, medicamentos utilizados e hábitos de vida de pacientes ou dos habitantes de determinada região, é possível adotar ações para evitar o surgimento ou agravamento de doenças. Os perfis epidemiológicos também são um apoio essencial para as secretarias de saúde pública, pois além de otimizar os investimentos, auxilia em toda parte de planejamento, distribuição de orçamentos, gestão de recursos e no combate às doenças negligenciadas. Além disso, consequentemente, traz evolução aos tratamentos de determinado grupo de pesquisa .

A Covid-19 é um ótimo exemplo da importância desse recurso. Ao traçar o perfil epidemiológico da população, é possível acompanhar a evolução da infecção por região (bairro, cidade, estado ou país) e obter informações que ajudarão a definir políticas públicas para a contenção da disseminação do vírus e compreensão da gravidade dos casos por região, algo essencial para a definição de alocação de recursos e tratamento mais eficaz.

Assim, não somente é possível garantir maior agilidade de atendimento e tratamento em hospitais e clínicas, mas também oferecer uma base de dados imprescindível para o devido planejamento estratégico de programas de promoção à saúde em operadoras. Compreendendo o perfil epidemiológico de um determinado grupo, é possível trabalhar preventivamente, antecipando tratamentos e promovendo boas práticas de maneira focada e eficaz.

A Healthtech Laura, por exemplo, startup que utiliza a inteligência artificial para a coordenação do cuidado com a saúde, oferece uma ferramenta que auxilia no levantamento das informações necessárias, reduzindo o tempo de coleta e tratamento de dados para traçar os perfis epidemiológicos.

Utilizando o WhatsApp como ponto de contato inicial, as pessoas são direcionadas para um link e preenchem um questionário simples, que utiliza um robusto método estatístico, para determinar os perfis de forma totalmente automatizada, alcançando um maior número de pessoas em menos tempo.

A aplicação da Laura permite extrair os dados para utilização no planejamento estratégico e promoção da saúde por parte dos gestores da operadora ou de órgãos públicos da Saúde.

“A pandemia de Covid-19 nos permitiu demonstrar o quanto os avanços da tecnologia são importantes para a medicina moderna. Nunca na história da humanidade desenvolveu-se uma solução, como as vacinas, em tão pouco tempo. O avanço científico em tão curto período é sem precedentes e a importância da tecnologia neste contexto é inegável. Temos ao nosso alcance os recursos da inteligência artificial para analisar uma quantidade volumosa de dados e obter resultados mais assertivos, mais eficientes e trabalhar preventivamente nos cuidados da saúde, melhorando como um todo a qualidade de vida da população”, afirma Cristian Rocha, CEO e cofundador da Laura.

Telemedicina é realidade para 95% das empresas de saúde da América Latina

Artigo anterior

Central Nacional Unimed reforça em 140% o efetivo de médicos que atendem online ou pelo teleatendimento

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar