quarta-feira, maio 22, 2024
Home News Hospital Moinhos de Vento debate desafios do Projeto TeleUTI

Hospital Moinhos de Vento debate desafios do Projeto TeleUTI

por Redação
0 comentário

A telemedicina tem a capacidade de levar a expertise médica para as regiões com as condições mais diversas do Brasil. Em abril deste ano, o Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro, em Montes Claros, Minas Gerais, abriu dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP). Algo novo para um raio de mil quilômetros que não tinha acesso a esse atendimento para a população. Apesar da boa nova para a região, a instituição ainda conta com dificuldade de especialistas, e até mesmo de realização de ultrassonografia.

Há pouco mais de dois meses o hospital mineiro aderiu ao programa TeleUTI, liderado pelo Hospital Moinhos de Vento por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS). Desde lá, já tem identificado a melhora significativa no atendimento médico oferecido, segundo relato da neonatologista e coordenadora da UTI pediátrica, Cindy Machado.

“Estamos mais seguros na tomada de decisão a respeito da conduta a ser aplicada para cada paciente. Ficamos muito surpreendidos pela tecnologia do aparelho de cart de telemedicina, que faz parte do programa, e o contato com os especialistas do Hospital Moinhos de Vento”, ressalta a médica.

Esse e outros relatos puderam ser ouvidos durante o encontro sobre “Benefícios e desafios da telemedicina em UTIs pediátricas do SUS”, em formato online, no dia 10 deste mês. O encontro ainda pode ser visto pelo canal do youtube da Faculdade Moinhos. O médico responsável do projeto e  pediátrica na UTI do Hospital Moinhos de Vento, Aristóteles Pires, mediou a conversa e trouxe o histórico do projeto idealizado pelo atual gerente médico de Saúde Digital da instituição, o médico Felipe Cabral.

“O hospital compartilha a expertise nessa área desde 2017, de uma forma mais regional com o teleoftalmo que atingiu aproximadamente 40 mil pessoas. A partir dessa experiência, expandiu para outros projetos como o TeleUTI, que iniciou em 2018 em  unidades de terapia intensiva pediátrica expandindo, em 2020, para UTIs neonatal e adulto em diversas regiões do país”, explicou Aristóteles Pires.

O médico intensivista pediátrico do Hospital Moinhos de Vento, Luciano Guerra, que participou de toda a implementação do projeto TeleUTIP, relatou que uma das barreiras era evitar o preconceito. “Não há desvalorização do corpo médico local do centro participante, pelo contrário. Há uma união de forças quando temos duas equipes médicas, uma no local e outra composta de especialistas, que podem ajudar no tratamento dos pacientes”, relatou.

Troca de experiência contínua

Na prática, por meio de tele-rounds diários, médicos intensivistas do Hospital Moinhos de Vento fazem visitas virtuais às unidades de saúde. As equipes locais levam um cart de telemedicina ou um robô até o leito dos pacientes. Juntos, os profissionais discutem cada caso, trocam experiências, fazem a adequação de rotinas e terapias e buscam formas de otimizar os recursos.

E essa transferência de conhecimento diária foi algo bem pontuado durante o encontro. Regiões diferentes lidam com picos de doenças variadas, o que expande o conhecimento dos médicos que acompanham os casos de lugares distintos. Nessa linha, o coordenador e diarista do Hospital Geral de Palmas, do Tocantins, Raphael da Costa Silva, falou sobre os cinco anos que integra o projeto na UTIP.

“No início éramos uma ilha pediátrica dentro de um hospital majoritariamente adulto, então não tínhamos acesso há muitos especialistas. O acompanhamento do TeleUTI proporciona uma auto percepção do trabalho que realizamos, avaliamos assim a qualidade do atendimento que oferecemos em consonância com a realidade local”, frisou o médico ao falar também sobre as dificuldades como falta de exames e medicamentos que às vezes enfrentam. “Ter o apoio da equipe médica do TeleUTI, ver que vocês se importam ao prestar atenção em cada detalhe como os curativos do paciente, é muito engrandecedor”, revelou emocionado Silva. O  Hospital Geral de Palmas, do Tocantins, reduziu a mortalidade na sua UTIP em 50% desde o começo da utilização da telemedicina.

Hospitais que são conveniados ao Tele UTI

  • Alagoas

Hospital Geral do Estado de  Alagoas – Professor Osvaldo Brandão Vilela – Maceió

  • Acre

Hospital Infantil Iolanda Costa e Silva – Rio Branco

  • Bahia 

Hospital Geral de Vitória da Conquista – Vitória Da Conquista

Hospital Manoel Novaes – Itabuna

Hospital Santo Antônio – Salvador

  • Ceará

Santa Casa de Misericórdia de Sobral – Sobral

Hospital e Maternidade São Francisco de Assis – Crato

Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara – Fortaleza

  • Maranhão

Hospital de Urgência e Emergência Clementino Moura – Socorrão II – São Luís

  • Minas Gerais

Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro – Montes Claros

  • Pará

Hospital Regional do Baixo Amazonas – Santarém

Santa Casa de Misericórdia do Pará – Belém

  • Paraná

Hospital Infantil Doutor Waldemar Monastier – Campo Largo

Hospital Regional Norte Pioneiro – Santo Antônio da Platina

  • Paraíba

Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – Campina Grande

  • Pernambuco 

Hospital Barão de Lucena – Recife

  • Rio Grande do Norte 

Hospital Dr. José Bezerra – Natal

  • Rio Grande do Sul

Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr – Rio Grande

  • São Paulo

Hospital Guilherme Álvaro – Santos

Hospital Dr. Léo Orsi Bernardes – Itapetininga

  • Sergipe

Hospital e Maternidade Santa Isabel – Aracaju

  • Tocantins

Hospital Municipal de Araguaína – Araguaína

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside