News

Diário da Saúde otimiza gestão online de medicamentos e atendimento à população

0

Maior controle, melhor atendimento e economia são alguns dos benefícios atestados pelos 28 municípios que utilizam o sistema em nuvem IPM Saúde, ferramenta multiplataforma que possibilita a gestão online unificada de todos os processos relacionados à área e proporciona interação com o Ministério da Saúde. Na cidade paranaense de Santa Helena, o Diário da Saúde, módulo adotado pela Prefeitura Municipal, tem apresentado transformado a realidade da saúde pública local.

Vinculado à Secretaria de Saúde, o programa está em operação desde 2014 e melhorou o controle de estoques de medicamentos nas farmácias municipais. Nove centros de saúde aderiram ao novo sistema de gestão. Cada unidade recebe medicamentos da farmácia central e a distribuição à população é integralmente registrada no sistema. O município dispõe de um estoque com 338 tipos de medicamentos controlados, 393 tipos de materiais hospitalares e 148 itens odontológicos. Segundo o responsável pela farmácia central e coordenador de implantação do sistema, Cleiton Luiz Maldaner, antes, a gestão de estoques de medicamentos era ineficiente, pois não havia real controle da entrada e saída de remédios dos postos de saúde.

Com o banco de dados unificado, todos os profissionais da área médica nas unidades de saúde acessam o sistema pela internet. O software eliminou problemas como a reincidência de pacientes em consultas médicas, por meio de um prontuário eletrônico único, visualizado de qualquer consultório. “Hoje, 100% da rede pública de saúde do município utiliza o Diário da Saúde. Com isso, houve um grande salto na gestão dos processos, possibilitando a geração de relatórios e o acompanhamento de indicadores. Outra vantagem é a qualidade do suporte oferecido pela IPM. Apresentamos algumas demandas ao longo do processo e conseguimos ajustar o sistema à nossa realidade, personalizando a ferramenta”, explica Maldaner.

A mobilidade é outro recurso do IPM Saúde. Desde fevereiro, a administração municipal conta com 24 tablets utilizados pelos agentes comunitárias de saúde. Outros aparelhos estão sendo destinados às áreas de Vigilância Sanitária e Epidemiológica. “A nova ferramenta de trabalho tem proporcionado maior agilidade, melhor controle e acompanhamento de dados relacionados à população atendida. O sistema também otimizou o processo de coleta e fornecimento de informações por ser integrado ao e-SUS”, ressalta o responsável pela farmácia central e coordenador de implantação no município.

PUCPR realiza bootcamp de inovação em saúde

Artigo anterior

Estudo aponta renúncia de 25,4 bi dos gastos federais em saúde

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News