quarta-feira, abril 17, 2024
Home Inovação Marcapasso que envia sinais ao cérebro é usado no tratamento de depressão

Marcapasso que envia sinais ao cérebro é usado no tratamento de depressão

por Redação
0 comentário

Uma nova opção de tratamento para pessoas com depressão clínica grave está sendo aplicada com sucesso no Rambam Health Care Campus, hospital localizado em Haifa, ao norte de Israel. Pacientes que não respondem bem aos tratamentos convencionais, como medicamentos e terapias, receberam um marcapasso por via subcutânea que, ao enviar sinais ao cérebro, ajuda a regular o humor e melhorar os sintomas da depressão. Pacientes com epilepsia resistente já estão sendo tratados com sucesso com esse método, que passa a ser aplicado agora para também para tratar a depressão.

A alternativa de tratamento ganha relevância em razão de estudos apontarem que mais de 30% dos pacientes com depressão clínica não respondem bem à medicação e à terapia, afetando seriamente sua qualidade de vida e aumentando a taxa de suicídio nessa categoria. A terapia acontece por estimulação do nervo vago (VNS, na sigla em inglês), nervo que nasce no tronco cerebral e, ao percorrer o corpo, conecta quase todos os órgãos essenciais.

“A maioria das pessoas sabe que seus nervos fazem muito mais do que transmitir uma mensagem de dor ao cérebro. No entanto, menos conhecido é que há dois nervos vagos, que vão do cérebro ao intestino grosso em ambos os lados do corpo e que desempenham um papel fundamental na regulação do humor, bem como nas funções corporais, como frequência cardíaca e digestão. A estimulação do nervo vago, então, pode ajudar a regular o humor e melhorar os sintomas da depressão”, explica Lior Lev-Tov, médico do Departamento de Neurocirurgia do Rambam, responsável por implementar o novo procedimento no hospital israelense.

O marcapasso vagal é implantado por via subcutânea no tórax do paciente, conectando fios finos ao nervo vago esquerdo. Os sinais elétricos são transmitidos dos fios para o nervo, que então os transmite ao cérebro. A conectividade cerebral — comunicação entre diferentes áreas do cérebro — é alterada, afetando, assim, o humor e a depressão.

“O procedimento é seguro e eficaz, uma vez que permite ao paciente recuperar o controle e a qualidade de vida. Embora os resultados não sejam imediatos, há menos sofrimento e a qualidade de vida é restaurada, de modo que os pacientes psiquiátricos com depressão clínica reabilitem e administrem suas condições”, destaca Lev-Tov.

O Departamento de Neurocirurgia do Rambam, o maior hospital de referência no norte de Israel, oferece os tratamentos mais avançados para pacientes que necessitam de neurocirurgia e sofrem de patologias do sistema nervoso central. O departamento é líder no tratamento e gerenciamento de todos os campos neurocirúrgicos.

O Rambam Health Care Campus é um hospital universitário e uma das cinco principais e mais avançadas instituições de saúde de Israel. Trata-se do maior centro interdisciplinar e referência para 12 hospitais distritais, oferecendo atendimento para cerca de 2,5 milhões de habitantes da região, além de receber pacientes de todo o país e do exterior.

Atualmente, conta com 6.085 funcionários, 65 departamentos com estrutura para internação com mil leitos, 39 institutos médicos, 15 laboratórios centrais, além de instalações clínicas especiais, incluindo o Instituto de Hematologia e Transplante de Medula Óssea, o Centro de Oncologia Joseph Fishman, o Hospital Infantil Ruth Rappaport, o Hospital do Coração Eyal Ofer e a Divisão de Cirurgia, que possui várias equipes cirúrgicas multidisciplinares nas áreas de otorrinolaringologia e cirurgia robótica, bem como um centro de pesquisa de cannabis medicinal exclusivo, sendo o único desse gênero no mundo.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside