NewsNewsletter

Inovações nos dados chegam à nefrologia brasileira

0

A Nefrologia brasileira ganhou destaque esse ano com a inclusão de uma nova terapia para uma parte dos pacientes dialíticos no rol da Agência Nacional de Saúde (ANS) dos procedimentos de cobertura obrigatória pelos planos de saúde: a hemodiafiltração online de alto volume. A terapia é feita numa avançada máquina de diálise desenvolvida e trazida pela multinacional alemã Fresenius Medical Care ao Brasil.

E os avanços vão além. Hoje, as máquinas de tratamento podem ficar interligadas a softwares inteligentes, que contém diversos dados clínicos e terapêuticos de cada paciente, evitando erros de digitação nas telas na hora da diálise e facilitando o trabalho dos profissionais de saúde.  O NephroSys, por exemplo, desenvolvido por uma startup de saúde brasileira adquirida pela Fresenius em 2019, é um sistema que contém o histórico do tratamento completo do paciente. Nesse sistema também ficam os dados de gestão e controle das clínicas.

Já o TDMS (Therapy Data Management System) realiza o gerenciamento e monitoramento dos dados da terapia em tempo real, direto nas máquinas de diálise, durante a terapia do paciente. O sistema monitora pressão arterial e venosa, volume de sangue, batimentos cardíacos, fluxo efetivo de sangue, Kt/V (número usado para quantificar a adequação do tratamento), clearance do dialisador, entre outros dados. Qualquer alteração fora dos parâmetros previstos, o sistema avisa em tela, a máquina soa o alarme e o enfermeiro faz os ajustes necessários.

E esses dados dos sistemas armazenados em rede ou em nuvem são sincronizados, permitindo atualizações permanentes. Até mesmo as balanças são interligadas e delas já são computados peso pré e pós diálise automaticamente para o sistema. Isso é possível graças a um cartão personalizado que cada paciente utiliza.

Usuária do sistema, a diretora de Enfermagem Isabel Cristina Corso, da clínica Nefroclinica Clínica De Doenças Renais, em Caxias do Sul, reforça a importância para tratar os pacientes e também na gestão organizacional. “Se muda a legislação, já entram as modificações. Hoje, o sistema já é muito atualizado. Todas as estatísticas já atendem às regulamentações. É tudo muito ágil e dinâmico. A automação em todas as etapas, no faturamento, nos relatórios e controles traz um salto de qualidade enorme. A segurança com relação ao que tínhamos antes é incomparável”.

“Desde o início em nossa clínica, optamos pelo prontuário eletrônico NephroSys. Os conteúdos permitem ótimo controle do ponto de vista logístico e administrativo.  Facilita melhor compreensão dos dados.  Oferece um gerenciamento mais seguro. E com o TDMS integrado, passamos a ter ganhos de eficiência, tempo, custo e qualidade no atendimento aos pacientes e prestadores de serviços”, afirma o Dr. Gilson Fernandes Ruivo, diretor da Clínica Santa Clara, em Pindamonhagaba.

 

Dispositivo ajuda funcionamento do coração para espera de transplantes

Artigo anterior

Google lança API Covid Card que exibe status de vacinação e resultados de testes

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News