GestãoNewsNewsletter

Tecnosenior registra aumento na procura por teleassistência durante a pandemia

0

A Tecnosenior, de Porto Alegre (RS), registrou um crescimento de 286% na busca por soluções de teleassistência oferecidas pela empresa. O aumento foi observado na comparação entre os meses de março, abril e maio deste ano, com o mesmo período de 2019. “Imaginamos que esse aumento de procura seja em razão do isolamento social, recomendado para se evitar a contaminação durante a pandemia do coronavírus, e porque muitas famílias precisam de atenção especial com a saúde de quem está sozinho em casa, especialmente os idosos”, comenta Carine Proto, Chief Operating Office da Tecnosenior. Segundo ela, soluções em teleassistência têm sido importantes para ampliar os cuidados com idosos e familiares, através de monitoramento remoto.

Uma destas soluções é o Vidafone, tecnologia desenvolvida pela Tecnosenior, que consiste em um dispositivo usado como pulseira ou pingente junto ao corpo, e um console que deve ser conectado na linha telefônica fixa e na tomada de energia elétrica. Quando o botão SOS é acionado no dispositivo ou no console, é gerada uma chamada com a central de atendimento 24 horas da empresa, que auxiliará o idoso, visando acalmá-lo. Em situações de urgência, contatos cadastrados previamente serão alertados pela central, agilizando o socorro e a preservação da vida. Atualmente, em torno de 95% dos usuários do Vidafone são do sexo feminino, com idade média de aproximadamente 78 anos.

Além do aumento na procura por seus produtos e serviços, a Tecnosenior observou que o número de chamadas de emergência reais, que antes eram em torno de 2% por mês, saltou para 9% neste mês de maio. “O motivo para o aumento nas chamadas de emergência é devido às pessoas estarem passando mais tempo sozinhas dentro de casa. No caso dos idosos, como muitos cuidadores não podem mais acompanhá-los o tempo todo, cresceu o número de acidentes domésticos, o que demonstra a importância de um sistema de emergência que pode ser acionado apertando um botão para se chamar ajuda” explica Carine Proto.

A gestora afirma que acidentes com quedas representam 80% de todos os chamados de emergência recebidos pela central de atendimento da Tecnosenior. No Rio Grande do Sul, o número de óbitos de idosos causados por quedas aumentou mais de 100% entre 2009 e 2017, segundo dados da Secretaria de Saúde do estado. Enquanto em 2009 foram 351 casos, em 2017 houve um salto para 898 casos, com aumento de 155%. Já no estado de São Paulo, o número de mortes por queda quadruplicou entre 2000 e 2016, conforme dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde. Os números indicam que essa já é a terceira principal razão de mortalidade no estado por causas externas, quando independem do que acontece ao organismo humano.

Fisioterapeutas do Hospital Alemão Oswaldo Cruz desenvolvem dispositivo que aumenta a disponibilidade de ventiladores mecânicos e de leitos de UTI

Artigo anterior

Universidade Federal de Goiás desenvolve teste molecular rápido para COVID-19 em microchips descartáveis

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais Gestão