Home Inovação Elon Musk já quer realizar testes para colocar chips no cérebro humano

Elon Musk já quer realizar testes para colocar chips no cérebro humano

por Redação
0 comentário

Durante um evento realizado na semana passada nos Estados Unidos, Elon Musk disse que a sua empresa Neuralink está se aproximando de testes em humanos de implantes que podem conectar o cérebro humano a computadores. Ele disse que a empresa já  preencheu “a maior parte” da papelada exigida pela Food and Drug Administration (FDA) e que pretende iniciar os testes em humanos em aproximadamente seis meses. “Agora estamos confiantes de que o dispositivo Neuralink está pronto para humanos”, disse Musk na quarta-feira passada, 1º, no Twitter.

Especialistas, no entanto, estão céticos em relação aos anúncios de Musk em meio a um campo mais amplo de pesquisa sobre implantes cerebrais. Não está claro se o FDA está considerando um pedido para iniciar testes em humanos — no passado, Musk disse que os testes começariam em 2020 e, posteriormente, neste ano.

O evento, que foi adiado por um mês, ocorre em meio a um período movimentado para o homem mais rico do mundo. Musk adquiriu o Twitter por US$ 44 bilhões no final de outubro e exigiu que os funcionários se comprometessem a ser “hardcore”, tuitando a foto de uma sessão noturna com engenheiros. Nesta semana, a Tesla deve entregar seu primeiro caminhão semielétrico. Ele também é CEO da empresa de foguetes SpaceX.

Durante seu painel de apresentação, Musk mostrou um vídeo em que disse que um macaco estava usando sua mente para controlar o cursor e o tipo de um computador. O uso de animais pela Neuralink em testes irritou ativistas e provocou alegações de que a empresa está prejudicando animais por meio de “experimentos malfeitos” que resultaram em infecções, convulsões, paralisia e hemorragia interna, segundo o repórter do The Washington Post, Pranshu Verma, que cobriu o evento.

A tecnologia Neuralink é semelhante a pesquisas feitas por outras pessoas sobre como converter sinais cerebrais em ação. Em julho, a Synchron, concorrente da Neuralink, implantou pela primeira vez seu dispositivo em um paciente nos Estados Unidos. A empresa recebeu autorização regulatória para testes em humanos em 2021.

O evento também serviu para  impulsar o recrutamento de profissionais para a Neuralink. Ao divulgar as vagas abertas na empresa, Musk disse que não é necessário que as pessoas saibam sobre biologia ou neurociência para trabalhar em sua startup de implantes cerebrais. “Quando você olha para as habilidades necessárias para fazer o Neuralink funcionar, na verdade, são muitas das mesmas habilidades necessárias para fazer um smartwatch ou telefone moderno funcionar”, disse ele.

Anna Wexler, professora assistente e especialista em ética médica na Universidade da Pensilvânia, disse no Twitter, após o evento de Musk, que as preocupações e dúvidas sobre o Neuralink permanecem.  Ela disse que é provável que Musk enfrente uma dura batalha com os órgãos reguladores federais para obter a aprovação do Neuralink, e isso pode levar tempo. “Prepare sua pipoca!”, acrescentou ela no Twitter. “Eu prevejo que teremos vários anos de confrontos públicos entre o FDA e Elon Musk. O FDA tem muitas restrições aos fabricantes de dispositivos e Musk demonstrou desrespeito pelas restrições federais.” Com agências de notícias internacionais e The Washington Post.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias