terça-feira, junho 25, 2024
Home News Como as redes sociais fazem você viver menos? Estudo revela como cérebro pode alterar percepção de tempo

Como as redes sociais fazem você viver menos? Estudo revela como cérebro pode alterar percepção de tempo

por Redação
2 comentários

O tempo é o ativo mais precioso. Ele não pode ser estocado, multiplicado ou acelerado. As 24h por dia e 7 dias por semana valem para todos, com a mesma quantidade de horas, minutos e segundos. No entanto, há um fator que pode alterar completamente a noção de tempo: a percepção temporal.

Já parou para pensar por que, mesmo que a quantidade de tempo seja a mesma, um minuto parece demorar mais quando se espera em uma fila tediosa do que quando se assiste um filme de ação? Isso tem a ver com a percepção temporal, ela é a forma como o cérebro interpreta a passagem do tempo e pode fazer com que, para nós, ele pareça mais rápido ou mais devagar.

Esse fenômeno é analisado pelo novo estudo, realizado pelo Pós PhD em neurociências membro da Society for Neuroscience nos Estados Unidos, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, e publicado na revista científica “Caderno Pedagógico”, plataforma Sucupira.

“A percepção subjetiva da passagem do tempo está relacionada com o nível de atenção do indivíduo. […] Por meio de estudos acerca de doenças neurológicas, como o Parkinson, que afeta a noção de tempo, regiões como o cerebelo, gânglios da base e córtex pré-frontal são apontados como responsáveis por computar a percepção do tempo”, explica Abreu.

Ainda de acordo com o estudo, atenção seletiva a algo prazeroso causa a sensação de que o tempo passou rapidamente, que se está no momento presente, ou que tal atividade durou poucos minutos quando na verdade se passaram horas. “Isso remete a teoria do Flow, quando se está focado no momento atual e não sobra espaço para se dedicar aos processos mentais da passagem do tempo […] No entanto, atenção a situações tediosas causa o efeito inverso, conferindo a percepção de que a atividade é morosa e lenta. O tédio parece aumentar quando se tem consciência da passagem do próprio tempo”, explica.

Redes sociais e a mudança da percepção do tempo

O uso excessivo de redes sociais pode afetar os mecanismos biológicos de percepção temporal e fazer com que “vivamos menos”, afirma o Pós PhD em neurociências, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, autor do estudo.

“Apesar de os avanços científicos e tecnológicos possibilitaram mais anos de vida para a população em geral, nossa percepção de tempo está cada vez mais curta, o que faz com que, no fim das contas, estejamos vivendo menos. O uso excessivo de redes sociais é o principal causador deste tipo de disfunção pois altera a homeostase, relacionada aos neurotransmissores, o que modifica a anatomia cerebral e transforma a percepção temporal e comportamental do indivíduo”, conta o neurocientista completando que para evitar isso é importante controlar o uso de redes sociais e focar mais em atividades dinâmicas e que demandem atenção, sem o uso de aparelhos eletrônicos, reserve também períodos de contemplação da natureza e meditação.

Notícias relacionadas

2 comentários

Daniel 9 de novembro de 2023 - 21:50

Sabe quando você assiste um vídeo na velocidade 2x e depois volta para a velocidade normal, e parece que a velocidade normal está lenta? É diferente, mas dá uma noção de como o cérebro está funcionando.

Responder
Daniel 9 de novembro de 2023 - 22:32

Acredito que a música também tenha um efeito em nosso cérebro, alterando a realidade.

Responder

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside