News

Pardini lança teleconsulta para casos suspeitos de Covid-19

0

Pacientes que apresentam sintomas de COVID-19 e que precisam de atendimento médico, podem contar, a partir desta segunda-feira,13, com o serviço de teleconsulta do Grupo Pardini. A iniciativa protege ainda pacientes e também profissionais de saúde. A expectativa é atender até 500 pessoas em um único dia.

A consulta individualizada ocorre por meio de uma videoconferência em ambiente virtual, pelo site www.hermespardini.com.br/coronavirus/. Em Goiânia e região, o serviço está disponível pelo Laboratório Padrão, do Grupo Pardini, e no Rio de Janeiro, pelo Centro de Medicina Nuclear da Guanabara, que também integra o Grupo. O serviço atende pacientes particulares e também poderá vir a atender pacientes de planos de saúde. A cobertura das consultas à distância pelos convênios médicos depende da autorização de cada operadora. Os médicos estarão disponíveis de segunda a sexta-feira, em horário comercial e sábados pela manhã.

Com a regulamentação da telemedicina, a rede, que pioneiramente oferece há cinco anos o telediagnóstico – uma das primeiras modalidades regulamentadas – se apropria do recurso tecnológico para ampliar a abrangência e disponibilização do serviço de consulta médica. Segundo a médica responsável pelo corpo clínico que irá atuar por teleconsulta no Hermes Pardini, Dra. Marilene Lucinda, telemedicina é medicina. A diferença está na capacidade da tecnologia para democratizar ou facilitar o acesso a consultas e outras linhas de cuidado ao paciente. “É a mesma medicina, que continua sendo feita por pessoas. Por mais inovadora que seja, é comandada por médicos e outros profissionais de saúde. Ela apenas nos ajuda a ampliar o propósito da empresa de ‘garantir o acesso à saúde’”, explica.

Para ela, a teleorientação dos médicos vai ajudar a atender grande parte da população que apresenta sintomas e gostaria de passar pela triagem clínica sem sair de casa.  “O serviço só não é destinado a pacientes crônicos e menores de idade. Diabéticos, hipertensos, portadores de doenças renais e todos os pacientes crônicos requerem um monitoramento constante e presencial”, esclarece. A médica reforça ainda que os pacientes que apresentam dificuldades respiratórias são orientados a buscar atendimento presencial, uma vez que esses quadros exigem maior estrutura de cuidado. Como em qualquer consulta médica, na teleconsulta o profissional pode emitir atestado médico, pedidos de exames e prescrição de medicamentos, seguindo as regulamentações vigentes.

Fluxo de atendimento da teleconsulta:

  1. Cliente com interesse de realizar consulta através de teleorientação para triagem de COVID-19 acessa o site e seleciona a agenda de marcação de consultas online.
  2. Cliente finaliza seu cadastro e recebe os dados do agendamento antes e após o pagamento. Pacientes que farão uso do convênio médico são apoiados pela equipe de atendimento no processo de autorização, quando autorizado.
  3. Cliente recebe e-mail ou WhatsApp com a confirmação da consulta.
  4. Cliente preenche questionário de anamnese preliminar.
  5. Cliente recebe lembretes entre a marcação e a hora do seu agendamento.
  6. No horário indicado, cliente acessa o link da teleconferência e inicia a consulta com médico.
  7. Médico e paciente realizam a consulta através de videoconferência, trocando informações e orientações, sendo o prontuário preenchido pelo profissional.

Unifesp desenvolve pesquisa com médicos residentes atuantes no combate à Covid-19

Artigo anterior

Liminar suspende cobrança de tributos federais para duas empresas hospitalares de São Paulo

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News