News

Portal CoronaBr adota nuvem pública para aumentar atendimento

0

A grande preocupação dos órgãos globais de saúde com o novo coronavírus (COVID-19) é não sobrecarregar os hospitais e sistemas de saúde que prestam atendimento aos pacientes. Pensando nisso, especialistas em saúde e a empresa Pixit se uniram para criar uma solução que pudesse usar a tecnologia para auxiliar a vida dos brasileiros: o site CoronaBr (www.coronabr.com.br), que conta com a infraestrutura da nuvem pública da IBM para atender a toda demanda de acessos.

Em menos de um mês desde o lançamento, o portal alcançou mais de 20 milhões de acessos e foi o link mais compartilhado pelo WhatsApp no período de 17 a 24 de março, segundo pesquisa da Fundação Getulio Vargas.

O enfermeiro virtual “Pedro do CoronaBr”, a partir de roteiros de diagnóstico clínicos (teleorientação em casos de sintomas autolimitados), faz perguntas e usa sinais de alerta a partir dos sintomas indicados. Isso permite realizar uma triagem de pacientes para qualificar aqueles que precisam de atendimento médico ou indicar os casos nos quais a recomendação não seja medicamentosa, passando orientações para aqueles com sintomas que poderiam ficar em casa. O site é totalmente gratuito e faz as primeiras perguntas que um enfermeiro faria em uma triagem no hospital, com base no protocolo seguido pela Organização Mundial da Saúde e pelo Ministério da Saúde.

Lançada no dia 19 de março a plataforma ultrapassou 1 milhão de acessos em 24 horas e 3 milhões em 48 horas. Esse rápido aumento no número de acessos demandou uma infraestrutura capaz de crescer tão rapidamente quanto o interesse do público, bem como uma plataforma estável capaz de entregar uma experiência completa para seus visitantes. Para isso, os idealizadores do CoronaBr contaram com a IBM para ter o apoio necessário para dar as condições necessárias para potencializar o impacto do portal.

A empresa CoronaBr juntou-se ao programa Startup with IBM para ter acesso a mentorias de negócios e recursos técnicos para seguir apoiando a população. Toda a arquitetura foi redesenhada para que o portal ganhe em escalabilidade e estabilidade para suportar os picos de acessos, garantindo a disponibilidade do serviço para os usuários. O Startup With IBM é um programa global que visa apoiar empreendedores e startups por meio do acesso a infraestrutura e serviços na nuvem pública da IBM, que podem atingir valores de até US$ 120.000 por ano em créditos. Esses créditos podem ser usados para acessar 130 serviços disponíveis na IBM Cloud, incluindo IBM Watson, IBM Blockchain, Analytics e Segurança.

“Quando começou a discussão sobre o risco de o sistema de saúde ficar sobrecarregado, vimos que precisávamos fazer algo, queríamos utilizar a tecnologia e nossa capacidade para auxiliar na solução desse problema. Nesse momento crítico, a ideia foi de agregar, de resolver. Assim nasceu o CoronaBr, que vem ajudando milhares de brasileiros todos os dias com orientação online gratuita que evita idas desnecessárias a uma unidade de saúde”, disse Flávio Machado, co-responsável pela criação do CoronaBr. Com o ambiente rodando na nuvem pública da IBM, o CoronaBr pode suportar até 184 mil acessos por hora, ou 4,5 milhões de acessos por dia, dando estabilidade ao sistema e alcançando ainda mais pessoas. A plataforma tem a capacidade de suportar ainda mais usuários e crescer, à medida em que os acessos crescem ao longo do dia.

“Nosso primeiro interesse foi o de manter o CoronaBr disponível para a população independentemente do grande volume de acessos. Para isso, empregamos a nuvem pública da IBM, o que garantiu a escalabilidade necessária para a aplicação. Isso traz a tranquilidade à equipe do CoronaBr para que possa planejar os próximos passos e a expansão do portal ao mesmo tempo em que conseguem atender aos visitantes do site com segurança e estabilidade”, comenta Marcos Paraíso, executivo de cloud pública da IBM Brasil.

UFPel lidera pesquisa para medir nível de imunização da população brasileira ao coronavírus

Artigo anterior

Sancionada lei que permite uso da telemedicina, emissão de receita permanece vetada

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News