terça-feira, julho 23, 2024
Home News Mercado de trabalho no setor de Saúde cresce em média 5,3% ao ano

Mercado de trabalho no setor de Saúde cresce em média 5,3% ao ano

Panorama Setorial da Robert Half mostra que empresas estão buscando profissionalização da força de trabalho

por Redação
0 comentário

Com um faturamento anual de R$ 415 bilhões no Brasil, de acordo com dados do IPC Maps, a Saúde Privada está entre os setores mais aquecidos na busca por profissionais, segundo o Panorama Setorial da Saúde da Robert Half, consultoria global de soluções em talentos, lançado em março de 2024. O mercado de trabalho no setor cresce a uma média de 5,3% ao ano, enquanto o estoque total de trabalhadores tem crescido a uma taxa média anual de 3,8%¹.

“A finalidade deste Panorama Setorial é apresentar aos gestores um quadro amplo do setor de Saúde, de modo a conectar as realidades do mercado às questões ligadas à gestão de talentos”, afirma Fernando Mantovani, diretor-geral da Robert Half para a América do Sul. “O material traz uma análise e alerta sobre como os profissionais podem impactar o resultado das companhias”, completa.

Busca por qualificação

O setor de Saúde vivenciou uma grande consolidação nos tempos recentes. As muitas fusões e aquisições do setor posicionaram o segmento como um dos que mais transacionaram nos últimos anos. No entanto, existe um longo caminho até que essas uniões deem origem a organizações coesas e eficientes, principalmente no que se refere à mão de obra.

“Até o momento, o que se vê são operações que inflaram e se tornaram mais complexas, porém com estruturas, processos e sistemas muitas vezes redundantes ou até mesmo incompatíveis. Por vezes, os negócios são desenvolvidos por uma força de trabalho que carece de habilidades técnicas e comportamentais essenciais para as posições”, diz Lucas Nogueira, diretor regional da Robert Half.

“Percebe-se um movimento das empresas em direção à profissionalização de sua força de trabalho, além de uma busca de maior senioridade principalmente na área financeira. Essa tendência visa reduzir as lacunas de formação, que percorrem desde as atividades operacionais até os níveis executivos”, acrescenta Nogueira.

Profissionais mais demandados

A expansão da base de clientes, o aumento na sinistralidade e nas fraudes de usuários dos planos de saúde fez explodir o volume de glosas nos pagamentos de clínicas e hospitais – problema que impacta diretamente o fluxo de caixa das empresas. O acúmulo dessas situações gerou a necessidade de recrutar um número cada vez maior de profissionais qualificados com conhecimentos especializados nas áreas de faturamento, auditoria e autorizações.

Segundo dados da Robert Half, no último ano, a maior procura foi por:

  • Analista/Assistente de Faturamento
  • Analista/Assistente de Autorização
  • Enfermeiro Auditor
  • Auditor de Investigação
  • Analista de Autorização (Pré/Pós)
  • Analista de Compliance
  • Analista de Legalização
  • Auditor de Riscos

Dadas as dificuldades para encontrar os perfis necessários, a alternativa frequentemente utilizada no setor costuma ser a de apostar no treinamento de colaboradores juniores, a “importação” de profissionais de maior senioridade, mais atualizados e vindos dos grandes centros ou a contratação por projeto de profissionais mais experientes para resolver backlogs e transferir know-how aos colaboradores permanentes da empresa.

Entre 2022 e 2023, mais de 90% das vagas abertas nas áreas de faturamento, auditoria, autorização e glosas foram por projetos com tempo determinado.

De acordo com pesquisas da Robert Half, a alocação de profissionais por projetos é benéfica tanto para as empresas como para os colaboradores.

Vantagens da alocação de profissionais por projetos
Para empresas Para profissionais
Acesso rápido a mão de obra qualificada Adquirir experiência
Conclusão do projeto com sucesso Networking
Transferência de conhecimento para o restante da equipe Oportunidade de efetivação
Eficiência Flexibilidade
Segurança jurídica Contato com novas ferramentas

Perfil das oportunidades

Entre 2022 e 2023, as oportunidades abertas foram:

  • 80% totalmente presenciais
  • 14% híbridas
  • 6% remotas

Características comportamentais mais demandadas:

  • Resiliência
  • Capacidade de performar sob pressão

Competências técnicas mais demandadas:

  • Experiência com temas de alta complexidade, como:
    • internações
    • cirurgias
    • próteses
    • tratamentos de alto custo

O problema do turnover

Além da dificuldade de encontrar bons profissionais, o setor sofre, também, com o alto volume de turnover entre os profissionais do backoffice. Para esses colaboradores, os salários na Saúde são inferiores aos de seus pares em outras indústrias, o que contribui para a evasão.

De acordo com o Panorama Setorial de Saúde da Robert Half, as principais motivações para a saída de profissionais são:

  • Melhores oportunidades em outras empresas
  • Salários abaixo da média do mercado
  • Falta de oportunidades de crescimento na empresa
  • Falta de reconhecimento e recompensas
  • Problemas de conciliação entre trabalho e vida pessoal

Guia Salarial da Saúde

Confira remunerações de alguns cargos do setor:

  • Auditor de Investigação: 6.800 | 8.600 | 10.400
  • Auditor de Riscos: 6.500 | 8.200 | 9.950
  • Analista de Compliance: 5.300 | 6.650 | 8.000
  • Enfermeiro auditor: 4.750 | 7.500 | 10.300
  • Analista de Legalização: 4.650 | 5.800 | 7.500
  • Analista de Faturamento: 3.000 | 3.650 | 4.400
  • Analista de Autorização: 3.000 | 3.750 | 4.500
  • Assistente de Autorização: 2.400 | 3.000 | 3.800
  • Assistente de Faturamento: 2.380 | 3.000 | 3.700

Os salários são divididos em percentis, representados por 25º/50º/75º, sendo que 50º não significa, necessariamente, a mediana do salário para determinado cargo. Os critérios para determinar em que faixa o perfil se encontra podem variar em torno da experiência na função, tempo no segmento, características setoriais, demanda e disponibilidade pelo perfil no mercado, habilidades e certificações extras.

O percentil 25º representa um(a) candidato(a) que ainda é novo(a) no trabalho ou que ainda está desenvolvendo habilidades relevantes, já o 75º representa aquele(a) candidato(a) que tem mais experiência do que a típica e conta com todas as habilidades relevantes para o trabalho, além de especializações e certificações, por exemplo.

¹ Fonte: CAGED/Novo CAGED/TEM, elaboração PRX Advisory a pedido da Robert Half.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside