Home Artigos Como a tecnologia pode favorecer a distribuição de medicamentos?

Como a tecnologia pode favorecer a distribuição de medicamentos?

por Paulo Pompêo
0 comentário

Não há como negar o crescimento da indústria farmacêutica. De acordo com uma pesquisa feita pela Interfarma, o faturamento do setor registrou uma alta de 62% nos últimos cinco anos, totalizando R$ 146,7 bilhões em vendas. Os dados apontam para o momento atual do segmento que busca atender a demanda crescente da população. No entanto, mesmo que a área vivencie a sua melhor fase, ainda assim, desafios em relação à distribuição desses medicamentos também fazem parte dessa atual realidade.

Desde a pandemia, a indústria farmacêutica vem despontando seu protagonismo. Presenciamos o aumento significativo na realização de pesquisas e desenvolvimento de medicamentos, à medida que novas doenças e problemas de saúde foram acometendo a população. Por sua vez, mais do que produzir, cabe ao setor a responsabilidade de distribuir os remédios, e garantir que chegue até o cliente final.

Entretanto, essa não é de longe uma tarefa simples. E, em se tratando de um país de tamanho continental como o Brasil, esse desafio é ainda mais acentuado. Isso é, diferentemente de outros segmentos, a distribuição de medicamentos exige cuidados desde o transporte o qual dependendo da matéria-prima, necessita de um veículo específico, até as dificuldades de entregar tais produtos por vias convencionais, levando em conta as diversas localidades.

Nessa jornada, sem dúvidas, a incorporação de novas tecnologias pode ajudar a melhorar significativamente esse processo em termos de eficácia, segurança e assertividade. Além desses pontos, destaco quatro melhorias que o setor de distribuição de medicamentos pode obter por meio do uso de recursos tecnológicos:

#1 Logística mais eficiente: através de sistemas de rastreamento, é possível acompanhar em tempo real o trajeto até a entrega dos remédios, assegurando que irão chegar no local corretamente, ou até mesmo, solucionar com agilidade e precisão eventuais transtornos no trajeto.

#2 Automação de processos: ao deixar de realizar manualmente atividades como embalagem, etiquetagem, entre outras, ganha-se maior velocidade das operações que antecedem a etapa final de distribuição, garantindo que seja diminuída as chances de erros ou falhas humanas.

#3 Monitoramento: com a ajuda de sensores, é possível garantir que os medicamentos que possam ser sensíveis à temperatura, como exemplo, sejam transportados e armazenados nas condições adequadas, evitando sua degradação.

#4 Rastreabilidade: sem dúvidas, esse é um dos grandes ganhos que a tecnologia promove para o setor de distribuição. Ou seja, é possível rastrear lotes completos de medicamentos, contribuído para maior segurança tanto da empresa quanto do paciente, e assertividade frente a gestão no dia a dia.

Cabe enfatizar que todos esses ganhos são inclusos a partir do uso de um sistema de gestão, como um ERP. Levando em conta o setor possui uma gama de especificações e normas a serem atendidas, a ferramenta possui ampla aderência com as peculiaridades do segmento, bem como pode ser customizada a fim de garantir às características da empresa, facilitando em todo o planejamento e atividades a serem executadas.

Contudo, precisamos destacar que nenhum software sozinho irá solucionar todos os desafios da gestão da distribuição de medicamentos. Para assegurar sua eficácia, é primordial que a escolha do software leve em conta os objetivos do negócio, e sua implementação envolva todo o time. Nesse processo, contar com o apoio de uma consultoria especializada faz total diferença, uma vez que irá direcionar a empresa desde a escolha da ferramenta, até na implementação final.

A indústria farmacêutica avançou muito até aqui, e seguirá crescendo à medida que a população demande mais medicamentos. Diante disso, é crucial que as organizações o quanto antes busque potencializar a área de distribuição, a fim de garantir seu desempenho exponencial. Até porque, para garantir o amanhã, é preciso começar de hoje.

Paulo Pompêo, head de Life Science do Grupo INOVAGE.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias