NewsNewsletter

ToLife recebe aporte de R$ 4 milhões para ampliar portfólio de soluções de saúde

0

A ToLife, healthtech fornecedora de soluções de pronto atendimento e monitoramento de pacientes, acaba de receber aporte de R$ 4 milhões para ampliar o seu portfólio de produtos voltados a melhoria dos serviços de saúde. O novo financiamento vem da CAF – Banco de Desenvolvimento da América Latina. A empresa já tem entre seus acionistas os fundos Oria Capital e Vox Capital. O recurso será aplicado no desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Entre os projetos da healthtech estão a evolução das soluções de monitoramento remoto de pacientes, o desenvolvimento de novas soluções de pronto atendimento digital, como triagem virtual com recursos de telemedicina, a melhoria da jornada do paciente dentro e fora da instituição e o uso de inteligência digital para atingir a excelência clínica e operacional.

“A pandemia trouxe enorme pressão sobre as finanças dos hospitais e acelerou o processo de transformação digital das instituições de saúde. Ao mesmo tempo, os pacientes têm cada vez mais exigido conveniência, agilidade e resolutividade. Não existe outro caminho para essa excelência que não passe pelo investimento maciço em tecnologia. É nesse contexto que a ToLife pretende ser a melhor parceira para ajudar as instituições de saúde na melhoria do cuidado, com eficiência e a melhor experiência para o paciente”, explica Leonardo Lopes, CEO da ToLife.

A startup foi pioneiria no desenvolvimento de um equipamento especializado em classificação de risco, até hoje sem similar no mercado nacional, que, segundo a empresa, reduz os erros do processo, agiliza o atendimento e reduz a evasão ao proporcionar uma experiência diferenciada para os pacientes. Em cinco anos, foram vendidos mais de 4 mil equipamentos.

Em 2020, com o surgimento da pandemia de covid-19 e a pressão por eficiência dos serviços de saúde, a ToLife lançou o Célerus, sistema de gestão especializado em pronto atendimento. A solução funciona em nuvem e no modelo de software como serviço (SaaS). “O Célerus digitaliza toda a jornada do paciente, automatizando processos e protocolos. O software funciona com o conceito no code, em que o próprio cliente consegue parametrizar os fluxos e linhas de cuidado da unidade, trazendo flexibilidade, velocidade e baixo custo porque não depende de desenvolvimento para adaptar o pronto atendimento às mudanças de demanda e diferentes cenários de infraestrutura e equipes disponíveis na unidade”, afirma Lopes.

O executivo ressalta que mais de 60 clientes em todo o brasil como Hospital LifeCenter (Notre Dame Intermédica), Hospital Cardiopulmonar (Rede D’or) , Unimed e Hospital Universitário da USP utilizam a tecnologia da health tech, que em 2020 e 2021 cresceu mais de 200%.

Para 2022 e 2023, Lopes projeta crescimento de 300% e tem como objetivo a melhoria da jornada do paciente dentro e fora das instituições, a projeção do leito do hospital na casa do paciente e o rastreamento contínuo da saúde na casa do paciente para reduzir o encaminhamento e acelerar o atendimento de urgência e emergência.

Unimed Goiânia implanta novo conceito de UTI neonatal em hospitais

Artigo anterior

Embrapii e BNDES vão investir R$ 20 milhões para inovar na área de saúde

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais News