quarta-feira, abril 17, 2024
Home Gestão Análise preditiva pode ajudar instituições a otimizar gestão da saúde

Análise preditiva pode ajudar instituições a otimizar gestão da saúde

por Redação
0 comentário

As organizações de atendimento responsável (ACOs, na sigla em inglês) desempenham papel crítico na mudança do sistema de saúde para cuidados baseados em valor, mas as iniciativas de gestão de saúde populacional e coordenação de cuidados exigem que elas invistam em novas tecnologias para alcançar o sucesso. ACOs são organizações de assistência médica — redes de médicos, hospitais e outros provedores e prestadores de serviços de saúde existentes nos Estados Unidos.

A análise preditiva é uma das tecnologias que permitem que esses provedores de assistência médicaaproveitem melhor os dados de seus pacientes para estratificação de risco e avancem em seu objetivo de “manter os pacientes saudáveis em casa”.

No podcast “Healthcare Strategies”,  da Xtelligent Healthcare Media, Sheila Magoon, doutora e diretora executiva da ACO Buena Vida y Salud e da South Texas Physician Alliance, e David Clain, diretor de produtos do Health Data Analytics Institute (HDAI), detalharam como a parceria de análise preditiva está ajudando a Buena Vida y Salud a impulsionar sua prestação de cuidados baseados em valor.

Quando a Buena Vida y Salud e a HDAI anunciaram a parceria em abril, Sheila sabia que a colaboração ajudaria a ACO a ver sua população de pacientes de uma perspectiva diferente e ajudaria a cumprir o objetivo de “manter os pacientes saudáveis em casa”. Ao explorar inicialmente a plataforma de análise preditiva da HDAI, ela e seus colegas foram apresentados a várias opções para análise de dados, incluindo a avaliação do risco de internações não planejadas, desenvolvimento de pneumonia e agravamento da insuficiência cardíaca.

A HDAI ajudou a Buena Vida y Salud a extrair relatórios para essas populações, que ela usou para desenvolver coortes (grupos) de pacientes no grupo de cuidados avançados da instituição, grupo de cuidados crônicos e grupo de risco crescente. Desses coortes, os profissionais receberam listas para ajudar a orientar seus esforços de gerenciamento do cuidado. No entanto, isso representou um desafio para Sheila. “Tivemos que olhar apenas para aqueles pacientes que são de alto risco de internações não planejadas”, continuou.

Essa abordagem foi a mais bem-sucedida, segundo ela, pois a Buena Vida y Salud já tinha um fluxo de trabalho para tornar esses dados de admissão não planejados acionáveis. A instituição decidiu alavancar essa abordagem com seus outros provedores também, permitindo-lhes escolher as coortes de pacientes ou casos de uso nos quais a plataforma da HDAI poderia ajudá-los a se concentrar melhor.

Sheila enfatizou que isso ajuda a engajar os provedores em vez de depender apenas de coordenadores internos de cuidados para orientar o trabalho de cuidado baseado em valor. “Mesmo que [os provedores] possam estar animados, eles realmente não sabem por onde começar”, disse ela.

Uma das campanhas em andamento da a Buena Vida y Salud está focada em obter vacinas para seus pacientes com alto risco de pneumonia à medida que a temporada de gripe se aproxima. Sheila observou que a pneumonia está entre os dez principais impulsionadores de internações hospitalares da instituição, tornando a prevenção dessas internações uma prioridade máxima. Usando a plataforma da HDAI, a Buena Vida y Salud está trabalhando para incentivar pacientes de alto risco a tomar suas vacinas pneumocócicas. Embora isso possa não eliminar as hospitalizações relacionadas à pneumonia, é fundamental para alcançar o objetivo de mantê-los em casa. “Como manter os pacientes saudáveis em casa? Vamos olhar para [os insights da HDAI] com esse objetivo final em mente”, explicou Sheila.

Qualidade de dados e gêmeos digitais

Para ajudar as ACOs a atingir suas metas de cuidados baseados em valor, a HDAI utiliza uma combinação de modelagem preditiva e gêmeos digitais. “Quando pensamos em gêmeos digitais e como fazemos essas análises, estamos pensando nos tipos de conversas que a doutora Sheila está tendo, onde ela vai a médicos individualmente e diz: ‘Vamos olhar para pacientes específicos que podem precisar de algum apoio ou alguma intervenção específica, mas também em termos gerais, como você está lidando com essa população?'”, explicou Clain.

Em resposta à introdução de ferramentas como da HDAI, muitos provedores podem hesitar, observando que eles têm uma população única de pacientes e levantando preocupações de que tais ferramentas podem não ser capazes de capturar essa nuance.

Ganhar a confiança do provedor não é fácil. Superar sua hesitação é ainda mais difícil se os fornecedores de análise preditiva não puderem exibir dados para fazer backup de suas declarações. “Abordar as preocupações dos provedores é crucial”, observou Clain. “Ter a capacidade de entrar na sala dizendo: ‘na verdade, pensamos nisso. Analisamos até que ponto seus pacientes são diferentes. E ainda vemos que há uma oportunidade’, ou, inversamente, ‘você tem uma população desafiadora, e os números parecem ruins em termos absolutos. Mas, dada a população, você está indo muito bem’. É importante ser capaz de fazer isso, e a geminação digital é como fazemos isso”, disse ele.

Gêmeos digitas são representações digitais ou virtuais de pessoas, objetos, processos ou sistemas projetados para ajudar a simular um resultado potencial. “Eles representam uma terceira onda de análise”, postulou Clain, vinculando dados não identificados dessas e de outras fontes a uma população de uma ACO. Ao comparar com populações de comparação precisamente pareadas, a HDAI pode ajudar as ACOs a medir os resultados de suas populações em várias métricas em relação a um grupo muito semelhante de pacientes. Essa tática pode ajudar a identificar áreas de melhoria.

“Se pudermos entrar e dizer [aos provedores]: ‘você tem uma população muito desafiadora com uma carga de doença de diabetes muito alta. Esperamos que você tenha mais hospitalizações relacionadas ao diabetes do que a média dos provedores, mas vamos ver como você está se saindo em relação a essa população’, acho que isso torna as conversas muito mais produtivas quando você pode começar com essa linha de base”, disse Clain.

Processo inicial e o futuro

A parceria da Buena Vida y Saud com a HDAI ainda está em seus estágios iniciais, mas a instituição de saúde viu alguns sucessos nascentes e está fazendo planos para iniciativas futuras. Atualmente, as taxas de internação estão estáveis, o que Sheila vê como muito positivo porque o fim da emergência de saúde pública levou a um aumento nas internações hospitalares e na utilização de pronto-socorro nos Estados Unidos.

Apesar desses sucessos, ela observou que pode levar um ano de trabalho com a HDAI antes que o verdadeiro impacto da parceria e as tendências de resultados dos pacientes associadas sejam aparentes. Enquanto isso, o próximo projeto da Buena Vida y Saud envolve melhorar o atendimento a pacientes com doença renal crônica (DRC3) em estágio 3. “Também reconhecemos, olhando para os dados, que nossos pacientes que têm DRC3, seja A ou B, correm um risco um pouco maior de ter visitas ao pronto-socorro”, explicou Sheila. “Identificamos um nefrologista que está disposto a trabalhar nisso, então esse é o nosso próximo novo projeto. O que vamos fazer é começar a olhar para isso [coorte] e depois dividi-lo em pedaços do tamanho de uma mordida, onde achamos que podemos realmente ter um impacto.”

Ela expressou que ela e seus colegas estão animados porque há tantas oportunidades fornecidas à Buena Vida y Saud ao alavancar análises avançadas e tantos aplicativos potenciais que poderiam melhorar significativamente a prestação de cuidados baseados em valor da instituição. “Estamos realmente esperançosos de ver aqui no próximo ano onde isso vai nos levar”, disse Sheila.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside