terça-feira, março 5, 2024
Home Artigos O papel da tecnologia no apoio ao diagnóstico e tratamento

O papel da tecnologia no apoio ao diagnóstico e tratamento

por Natalia Guarin e Gustavo Marui
0 comentário

O mês de outubro é conhecido internacionalmente como Outubro Rosa, uma campanha de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Durante esse período, diversas ações são realizadas para promover a saúde e incentivar mulheres a realizarem exames preventivos. Nessa jornada, a tecnologia cada vez mais desempenha papel fundamental ao oferecer soluções inovadoras e eficazes no apoio ao diagnóstico e tratamento dessa doença.

A inteligência artificial (IA) é um exemplo que vem proporcionando avanços significativos no campo da medicina. Por meio do aprendizado de máquina, algoritmos são capazes de analisar grandes quantidades de dados e identificar padrões que podem ajudar os médicos no diagnóstico precoce do câncer de mama.

O processamento de imagens de mamografia e ressonância magnética ajuda a IA a detectar lesões suspeitas com alta precisão, contribuindo para um diagnóstico mais assertivo, como apoio à decisão clínica e pode  reduzir a possibilidade de resultados falso-positivos. Além disso, a tecnologia pode ser utilizada para facilitar a jornada do paciente, proporcionando um atendimento mais ágil e personalizado.

Aplicativos móveis e plataformas digitais se tornaram agentes que agilizam e facilitam o agendamento de consultas, acesso a resultados de exames e ainda contribuem para obter informações relevantes sobre o câncer de mama. Esses recursos facilitam o acesso aos serviços de saúde, além de aprimorar a comunicação entre médicos e pacientes, garantindo um acompanhamento mais eficiente e integrado.

A mobilidade também estimula mudanças de hábitos alimentares e a prática de atividade física. Com informações sobre dieta saudável e alertas de controle alimentar, os pacientes são conscientizados sobre os riscos do consumo de alimentos ultraprocessados, por exemplo. Esses aplicativos estão se tornando cada vez mais abrangentes, com a oferta de atenção multidisciplinar para apoio e monitoramento remotos.

Investimento em tecnologia é chave

Quando o tema é saúde suplementar, a tecnologia tem sido forte aliada na busca por tratamentos de qualidade. Planos de Saúde têm investido em soluções tecnológicas que permitem a análise de prontuários eletrônicos para identificar possíveis casos de câncer de mama em estágios iniciais.

O diagnóstico precoce, apoiado na tecnologia, salva vidas ao acelerar o tratamento. As chances de cura têm sido ampliadas pelo avanço tecnológico e ao mesmo tempo reduzindo custos hospitalares, garantindo mais capacidade de investimento e de atendimento a um maior número de pacientes.

Em um dos casos de uso, a tecnologia de Processamento de Linguagem Natural (NLP – uma das vertentes da Inteligência Artificial) identifica que há indícios de alguma alteração mais importante no exame, no momento em que o médico do laboratório está preparando o laudo. A partir dessa análise automática, o sistema dispara um alerta para a central de atendimento que, automaticamente, aciona o médico que prescreveu o exame, para que este possa antecipar a consulta de retorno ou a solicitar novos exames.

No Sistema Único de Saúde (SUS), a tecnologia também desempenha papel essencial. Plataformas de telemedicina permitem a realização de consultas a distância, facilitando o acesso a especialistas e reduzindo filas de espera. Além disso, programas de rastreamento e monitoramento de pacientes auxiliam no controle e no acompanhamento do tratamento do câncer de mama, garantindo uma assistência de qualidade a quem utiliza os serviços públicos de saúde.

O tema é de grande importância, pois estima-se que 66,2 mil novos casos são registrados ao ano, envolvendo pacientes de ambos os sexos. Apesar de ser mais comum em mulheres, o número de homens afetados passaria de 600 a cada ano. A maior preocupação é que, diferentemente do feminino, o câncer de mama masculino costuma ser diagnosticado em estágios mais avançados.

O uso de IA, a simplificação da jornada do paciente e a aplicação de soluções tecnológicas nos sistemas de saúde vêm salvando vidas. Assim, é fundamental que governos, instituições de saúde e empresas continuem investindo em tecnologia e promovendo ações de conscientização para que o câncer de mama seja vencido cada vez mais rápido.

*Natalia Guarin é especialista sênior em data analytics da Logicalis, e Gustavo Marui é gerente técnico para tecnologias de saúde da Logicalis.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside