quarta-feira, maio 22, 2024
Home Inovação Rede de Colégios Santa Marcelina realiza projeto voltado ao desenvolvimento socioemocional de crianças e adolescentes

Rede de Colégios Santa Marcelina realiza projeto voltado ao desenvolvimento socioemocional de crianças e adolescentes

por Redação
0 comentário

Com o propósito de aprimorar o desenvolvimento socioemocional dos estudantes, a Rede de Colégios Santa Marcelina elaborou uma iniciativa inovadora chamada Programa DAVIDA, cuja estratégia estrutura as atividades de formação e de projeto de vida, indo além das diretrizes curriculares nacionais. Desde o início do projeto, que começou no final de 2023, mais de 1600 estudantes da Rede já foram impactados.

O projeto é dividido em quatro fases, cada uma direcionada a um público específico. A fase “Vida em Descoberta” é destinada às crianças da Educação Infantil, “Vida em Jogo” é voltada para os estudantes do Ensino Fundamental Anos Iniciais, “Vida no Rolê” é direcionada aos estudantes do Ensino Fundamental Anos Finais, enquanto “Vida que Ilumina” é destinada aos estudantes do Ensino Médio.

De acordo com a Coordenadora Educacional da Rede de Colégios Santa Marcelina, Aline Oliveira, as atividades desenvolvidas no projeto são diversas e abrangentes, adaptando-se a cada ano e objetivo específico. “As ações podem incluir a organização de oficinas práticas, a criação de materiais como scrapbooks e álbuns de fotos, realização de rodas de conversa, palestras, além da utilização de recursos variados, como livros, músicas e filmes, sempre com o intuito de discutir, aprimorar e desenvolver o socioemocional de cada estudante”, comenta.

A especialista acrescenta ainda que o projeto representa um recurso crucial para operacionalizar a matriz socioemocional do Santa Marcelina, abrangendo desde a Educação Infantil até o Ensino Médio. “É fundamental realizar ações que permitam que o estudante valorize sua própria potência, expresse suas emoções e pense sobre suas escolhas de vida e carreira. Isto porque, esse tipo de iniciativa, voltada ao desenvolvimento socioemocional, impacta diretamente o bem estar emocional desses indivíduos” explica Aline.

A origem do projeto

A ação foi elaborada de forma colaborativa pela equipe de orientadoras educacionais da Rede, após participarem de uma formação em design thinking. O desenvolvimento do projeto envolveu todas as unidades da Rede, que não apenas testaram as propostas, mas também deram início à sua implementação.

Neste sentido, a concepção desta proposta não se limitou à exigência legal das habilidades socioemocionais estipuladas pela Base Nacional Comum Curricular. Ela está ligada também à adaptação aos desafios contemporâneos e à implementação de uma abordagem metodológica que reflita as práticas já existentes nas unidades da Rede, contribuindo para uma formação ainda mais humana na instituição.

“Compreendemos a necessidade de colocarmos em evidência o nosso jeito de fazer e compartilhar com a comunidade educativa o potencial de transformação que a educação, com firmeza e suavidade, pode oferecer para tempos desafiadores. Por isso, nossa opção para este programa foi a gestação de um processo de cocriação contínuo, desenvolvido pela nossa equipe, pois não se tratava de termos uma solução pronta de mercado sobre projeto de vida”, complementa a coordenadora.

Valorização da saúde mental

Dentro do Projeto DAVIDA, é trabalhada a dimensão de autoconsciência prevista na matriz socioemocional, que abarca as dimensões de autoconhecimento, autoestima e resiliência. Segundo a especialista, esse aspecto se relaciona fortemente com a valorização da saúde mental realizada diariamente na instituição.

“Um dos pontos abordados pela iniciativa é justamente o bem-estar psicológico, pois os estudantes ganham espaço para expressar suas emoções, discutir sobre autocuidado e autoimagem, pensar em adaptação às mudanças e desenvolver habilidades de tolerância à frustração. Essas habilidades são fundamentais para a promoção da saúde mental de jovens e crianças”, discorre a especialista.

Ainda no âmbito voltado à saúde psicológica, algumas unidades do Santa Marcelina realizam ações relacionadas ao “Setembro Amarelo” e a equipe pedagógica da Rede recebe treinamento qualificado para atuar frente às questões de saúde mental dos estudantes, acolhendo-os e orientando as famílias a buscarem ajuda especializada externa.

Em 2020, por exemplo, a Rede de Colégios Santa Marcelina ofertou uma live sobre processos autodestrutivos e bem-estar em tempos de crise e, em 2022, organizou o workshop “Formação em saúde mental e emocional”, ambos com a renomada suicidologista e pós-doutora em psicologia Dr. Karina Okajima Fukumitsu.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside