News

Mercado de implantes dentários continua em ascensão no Brasil

0

Com quinze anos após sua fundação, a S.I.N. Implant System continua sua trajetória de expansão global. O CEO Felipe Leonard conta que em alguns países do mundo, a brasileira detém 50% de participação no mercado. Até o final de 2019, o mercado brasileiro de implantes dentários e componentes deve movimentar cerca de R$ 590 milhões. Desse total, a S.I.N. Implant System responderá por 22% dos itens vendidos.

Já faz algum tempo que o brasileiro tem investido especialmente nos cuidados com os dentes. As campanhas de conscientização na área da odontologia alertam que, para além da estética, uma dentição bem cuidada é sinônimo de saúde e qualidade de vida. “A disseminação das informações sobre novas tecnologias a custos mais acessíveis são fatores que têm contribuído para ampliar o número de tratamentos na área da implantodontia”, explica Leonard.

Ele adianta alguns planos da empresa a curto prazo: “Queremos conquistar a Europa e a América Latina. Nessas áreas, o valor total do negócio de implantes supera os USD 1,3 bilhões. Nós temos participações bastante expressivas em vários mercados desses países, chegando a ter 5%, às vezes 10% e, em alguns desses locais chegamos próximos aos 50%.”

Mas, na avaliação do CEO, ainda há bastante espaço para o incremento da expansão global. “Considerando o volume geral de Europa e Estados Unidos, ainda temos potencial gigante de crescimento, já que o nosso market share não supera 1% do total. A isso deve se somar mais oportunidades em regiões onde ainda não estamos presentes, como África, Índia e Sudeste Asiático.”

A previsão de desenvolvimento do segmento, portanto, é enorme. “Estimamos crescer entre 20% e 30% no Brasil, e dobrar o nosso negócio em âmbito internacional”, afirma Leonard. “Nossa estratégia se baseia na qualidade dos produtos que fabricamos. Por isso, investimos muito em pesquisa e tecnologia”, explica o executivo.

Democratização dos implantes dentários

Há cerca de 20 anos, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (Abimo), o implante custava cinco vezes mais do que hoje.

O valor está mais acessível ainda por conta dos tipos de materiais empregados. O preço final é ajustado com base neles e, também, nas características dos implantes.

No mercado global e diante da concorrência, o Brasil sai na frente em relação a players de outros países, por conta do grande desenvolvimento da S.I.N. Implant System nacional, com excelentes profissionais. “O mercado brasileiro ocupa a segunda colocação em vendas de implantes no mundo, só perdendo para os Estados Unidos”, conta Leonard.

Números da perda de dentes no Brasil

Informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que 39 milhões de pessoas no País usam próteses dentárias, sendo que uma em cada cinco dessas tem de 25 a 44 anos. Já aos 60 anos, 41,5% das pessoas já perderam todos os dentes. “Parte desse público é que irá se beneficiar, tanto do ponto de vista físico como do emocional, quando se utiliza a tecnologia do implante na recuperação da dentição”, finaliza o presidente da S.I.N.

IoT Business Forum apresenta projeto de wearables na área hospitalar

Artigo anterior

Hospital Mãe de Deus celebra 40 anos com nova campanha de posicionamento

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News