quarta-feira, maio 22, 2024
Home Gestão Lei incentiva investimento no setor da saúde por meio de benefícios fiscais

Lei incentiva investimento no setor da saúde por meio de benefícios fiscais

por Redação
0 comentário

Celebrado em 7 de abril, o Dia Mundial da Saúde tem o objetivo de chamar a atenção para prioridades do bem-estar global. Em 2023, os índices de saúde avançaram no Brasil, potencializados principalmente pelo número de profissionais e procedimentos realizados pelo SUS, disponibilidade de leitos e aumento da cobertura vacinal – mas ainda abaixo da meta.

Nesse sentido, a Lei de Incentivo à Saúde surge como aliada para impulsionar melhorias na qualidade de vida da população. Segundo o Benchmarking do Investimento Social Corporativo (BISC 2021), estudo publicado anualmente pela Comunitas, o mecanismo está entre os seis incentivos fiscais mais utilizados no Brasil.

“Em linhas gerais, trata-se de uma legislação que visa estimular investimentos por meio de benefícios fiscais para empresas e indivíduos que destinem recursos para iniciativas relacionadas à promoção da saúde e prevenção de doenças”, explica Vanessa Pires, fundadora da Brada, startup especializada em leis de incentivo.

Quais são?

No Brasil, o Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) e o Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD) são dois mecanismos criados pelo Ministério da Saúde para incentivar ações desenvolvidas por entidades, associações e fundações privadas sem fins lucrativos. De acordo com Vanessa Pires, os projetos podem contemplar:

  • Serviços médico-assistenciais;
  • Pesquisa ou formação;
  • Capacitação e aperfeiçoamento dos recursos humanos.

Como funciona?

Empresas tributadas pelo sistema de Lucro Real e pessoas físicas optantes pelo modelo completo de declaração do Imposto de Renda podem destinar recursos para projetos previamente aprovados pelo Ministério da Saúde. Em ambos os casos, é possível aportar até 1% dos impostos devidos – tanto pessoas físicas quanto jurídicas.

“No caso de pessoas físicas, a destinação de recursos para o PRONON e PRONAS é adicional aos 6% destinados para os demais incentivos fiscais para os quais elas queiram contribuir. No caso de pessoas jurídicas, as doações também não competem com os demais incentivos federais, como a Lei Rouanet e Esporte”, esclarece Vanessa.

Benefícios sociais

A especialista destaca os benefícios da Lei, a começar pelo fortalecimento do sistema de saúde com recursos adicionais que viabilizam a realização de atividades que, por vezes, não seriam possíveis com verbas públicas. Por outro lado, a população é beneficiada com a realização de programas que visam a promoção de hábitos saudáveis, contribuindo diretamente para redução dos índices de morbidades.

“É importante destacar o papel crucial que a Lei de Incentivo à Saúde desempenha na sociedade. Ao conhecermos e valorizarmos essa legislação, podemos colaborar para a construção de um futuro onde todos tenham acesso a serviços de saúde de qualidade e possam desfrutar de uma vida melhor”, diz Vanessa.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside