InovaçãoNewsNewsletter

Inscrições abertas até esta segunda para negócios focados em atenção primária à saúde

0

Com o propósito de aproximar o setor público das inovações desenvolvidas por empreendedores da saúde, a Artemisia e a Umane se uniram para criar a Plataforma de Inovação Aberta em Atenção Primária à Saúde. A iniciativa vai selecionar até 10 negócios de impacto social que receberão, em uma primeira fase, apoio e recursos para refinar suas propostas; as três que se destacarem no processo receberão, cada, até R$ 100 mil para investirem em um piloto a ser implementado em um município. O programa inédito no Brasil – que conta com apoio do BID e do Instituto Arapyaú – envolve, ainda, a produção de uma Tese de Impacto Social em Atenção Primária à Saúde. As inscrições estão abertas até esta segunda-feira, 9 de novembro, e podem ser feitas pelo site: http://impactosocial.artemisia.org.br/inovacao-aberta-saude

A escolha pelo tema de Atenção Primária à Saúde (APS) para a coalizão é bastante pragmática: ela é o acesso da população aos cuidados de saúde, sendo responsável por atender de 80% a 90% das necessidades de atendimento médico de um indivíduo ao longo da vida, de acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS-Brasil). Em síntese, isso ocorre por possuir uma oferta abrangente de serviços que vão da promoção básica de saúde e prevenção ao monitoramento de doenças crônicas e cuidados paliativos. Por conhecer a população ao redor das unidades, tornou-se o nível que apresenta maior rapidez para responder às mudanças econômicas, tecnológicas e demográficas que podem impactar no bem-estar das pessoas, sendo eficaz tanto ao lidar com causas e riscos à saúde, como responder a desafios emergentes que podem ameaçar o futuro da população.

A primeira etapa da iniciativa, que prevê a seleção dos negócios, está alinhada à estratégia de apoiar soluções que tenham potencial de ampliar o acesso, complementar e/ou qualificar a oferta pública de assistência médica. Diante da pandemia, houve uma maior clareza sobre a necessidade de inovar e acelerar as transformações na saúde pública do Brasil. A coalizão firmada entre as organizações, que são referência nos respectivos setores de atuação, parte do profundo conhecimento das necessidades e dores dos atores envolvidos – gestores públicos, empreendedores de impacto social e população brasileira – e vai em direção à potencialização dos ativos necessários para avançarmos em direção à melhoria da qualidade da saúde pública. Para participar, estão credenciados empreendedores de saúde de todo o país, com real intencionalidade em atuar com o setor público e soluções ou tecnologias próprias prontas a serem testadas no mercado ou em estágio de tração.

Os 10 negócios selecionados na primeira etapa vão receber suporte para formatar um plano de trabalho para um projeto-piloto, contando com mentorias de especialistas e R$ 5 mil para custear despesas (como entrevistas de profundidade) a fim de refinar e adequar as soluções. Os três destaques do programa receberão até R$ 100 mil cada para implementar os projetos-piloto em municípios pré-determinados pela iniciativa, além de contarem com apoio individualizado e business development para o fortalecimento dos negócios e suporte para validações de campo.

 Eixos de atuação

Promoção da saúde e Prevenção de Doenças (soluções que possam promover conteúdos educativos e informativos sobre saúde, a adoção de um estilo de vida saudável e/ou incentivar o tratamento e a prevenção de doenças comuns (obesidade, tabagismo e outras DCNT); Diagnóstico Precoce (tecnologias que auxiliem no diagnóstico dos pacientes, de maneira mais rápida, barata e efetiva; soluções que possam sensibilizar e educar para o autoexame não excluindo a necessidade de acompanhamento profissional; e ferramentas que permitam a realização de avaliação preliminar via telediagnóstico); Suporte à saúde (soluções que permitam o acompanhamento e monitoramento do paciente a distância por meios digitais; e tecnologias que estimulem a realização apropriada do tratamento); Gestão da Rotina de Trabalho (soluções que facilitem a rotina das equipes da APS, auxiliando no aumento da produtividade, nos cuidados com a saúde mental, na gestão das consultas e na melhoria na gestão de conhecimento; soluções que apoiem o gestor na liderança das equipes, espaços e projetos); Gestão de Dados e Geração de Informação para Tomada de Decisão (soluções que auxiliem na coleta, tratamento e utilização dos dados da APS para predições epidemiológicas, realização de mapeamentos diversos, rastreabilidade da jornada/satisfação dos pacientes e promoção da otimização da gestão financeira.); eLinhas de Treinamentos dos Profissionais (soluções inovadoras de treinamento, que possam entregar conteúdos de maneira rápida e eficiente; tecnologias que apoiem novos profissionais, permitindo a troca de conhecimento e o aprimoramento da execução dos protocolos).

A fronteira da inovação

Segundo Maure Pessanha, diretora-executiva da Artemisia, o setor de saúde sempre foi prioritário para organização, justamente por ser estruturante e por dialogar diretamente com a melhoria da qualidade de vida da população mais vulnerável. “Sempre enxergamos o enorme potencial que negócios inovadores têm de qualificar a oferta dos serviços prestados pelo Sistema Único de Saúde. Entretanto, há um abismo entre esses empreendedores, as soluções e o setor público. Em uma perspectiva que ultrapassa uma iniciativa de aceleração, criamos uma coalizão que representa a fronteira de inovação para a temática”, afirma Maure.

“A nossa motivação é criar novos arranjos para que as soluções conquistem escala e cheguem à população em situação de vulnerabilidade social e econômica; impactem positivamente os territórios com soluções de ponta. A plataforma de inovação aberta reunirá o ambiente necessário para o desenvolvimento de soluções totalmente adequadas às demandas, partindo dos desafios existentes na ponta. Isso porque existe uma forte tendência de alavancar a inovação no setor público utilizando do potencial do ecossistema empreendedor e dos mecanismos de compras públicas”, finaliza.

Para Thais Junqueira, CEO da Umane, a Atenção Primária à Saúde é um eixo estratégico e um dos cernes do SUS. “Os modelos de saúde pública universais bem-sucedidos a tem como sua principal fortaleza. Por acontecer no âmbito da comunidade, do entorno e dos fatores que podem ser prevenidos, pode ser simplificada e aprimorada, entre outros caminhos, por meio de soluções que otimizem os fluxos, as linhas de cuidado e a atuação dos profissionais de saúde localmente”. A executiva acrescenta que a coalizão busca contribuir para que municípios brasileiros possam, gradualmente, ter mais acesso e conhecimento de boas práticas e novas soluções que possam ser testadas e aplicadas nesse contexto.

ARTEMISIA

Organização sem fins lucrativos pioneira no fomento de negócios de impacto social no Brasil. A Artemisia apoia negócios voltados à população em situação de vulnerabilidade econômica, que criam soluções para problemas socioambientais e provocam impacto social positivo por meio de sua atividade principal. Sua missão é identificar e potencializar empreendedores(as) e negócios de impacto social que sejam referência na construção de um Brasil mais ético e justo. Já apoiou mais de 500 iniciativas de todo o Brasil em seus diferentes programas, tendo acelerado intensamente mais de 180 negócios de impacto social. Fundada em 2005 pela Potencia Ventures, possui atuação nacional.

UMANE

A Umane é uma associação civil sem fins lucrativos dedicada a apoiar, desenvolver e acelerar iniciativas de prevenção de doenças e promoção à saúde, no âmbito da saúde pública, com os objetivos de contribuir para um sistema de saúde mais resolutivo e melhorar a qualidade de vida da população brasileira.

Laboratório produz próteses gratuitas para pacientes oncológicos

Artigo anterior

Tecnologia assistiva auxilia na qualidade de vida dos pacientes

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar