InovaçãoNewsNewsletter

Robôs de telepresença são usados em mais de 11 mil atendimentos a pacientes com Covid-19 no Hospital das Clínicas

0

Desde março, o Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP está usando três robôs de telepresença para apoio a pacientes de Covid-19, que já realizaram mais de 11 mil atendimentos. Na triagem do ambulatório foram 10.560 atendimentos em nove meses (março a novembro). Já na enfermaria do hospital, 720 em três meses (abril a junho), e no pronto socorro 264 (maio e julho). Os robôs também foram usados na UTI e nas ações de entretenimento com o Palhaço Osório (Giba Rizzo).

Nesta terça-feira,8, foi oficializada a entrega de cinco robôs pela Pixeon, uma das maiores empresas brasileiras de tecnologia e inovação para saúde, em parceria com a Pluginbot, que viabilizou a usabilidade dos robôs dentro do HC. Os equipamentos permitirão que os médicos da unidade realizem atendimentos aos pacientes com Covid-19 usando recursos de telepresença, além da oportunidade de viabilizar soluções que permitam criar benefícios tangíveis nas experiências de uso médico, assistencial, hospitalar e paciente.

“Esperamos contribuir com a possibilidade de novos projetos inovadores na saúde, com tecnologia em benefício da vida e da segurança dos profissionais de saúde e acelerando a adoção de robôs no setor, em um movimento que perdure mesmo após a pandemia”, diz Armando Buchina, CEO da Pixeon. “Essa doação também reforça a nossa estratégia de oferecer a hospitais e clínicas tecnologias que geram uma jornada de saúde mais digital aos pacientes, sem deixar de lado o aspecto humano, tão importante em qualquer tratamento”, completa.

A PluginBot, que possui uma plataforma para gerenciamento e integração de múltiplos robôs, será a empresa responsável pela gestão dos equipamentos doados ao HC pela Pixeon. A partir de 09/12 eles estarão nas principais frentes de atendimento do hospital. Com segurança e distanciamento, os robôs permitem a assistência aos pacientes, melhorando a condição do atendimento e também a percepção dele em relação à proximidade, já que via robô a taxa efetiva de vistas aumenta, o que é benéfico, pois causa efeito psicológico favorável à recuperação.

Vencedores do desafio global de dados nos EUA descobrem relações entre COVID-19 e reabertura das faculdades

Artigo anterior

Brasil investe muito pouco em Inteligência Artificial na Saúde

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar