ArtigosNewsletter

Janeiro branco alerta para a saúde mental em tempos de pandemia

0

O primeiro mês do ano, geralmente marcado por um período de reflexões, planejamentos e metas, é também o mês da Campanha Janeiro Branco, que convida a população a discutir a importância do cuidado com a saúde mental em busca de mais felicidade e qualidade de vida. A depressão é um dos grandes males do nosso século. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a doença afeta mais de 350 milhões de pessoas no planeta. A ansiedade atinge 18,6 milhões de brasileiros e os transtornos mentais são responsáveis por mais de um terço do número total de incapacidades nas Américas. Em tempos de pandemia, o Janeiro Branco assume ainda mais relevância.

O ano que passou foi atípico e, certamente, terá reflexos na saúde mental da população mundial. Somente a busca sobre transtornos mentais no Google em 2020 aumentou 98% em relação aos dados de dez anos atrás. O ano marcado pela pandemia da Covid-19 no mundo, trouxe mudanças na rotina da população impostas pelo isolamento social que promoveram o distanciamento de amigos e parentes e deixaram a população em uma bolha obrigatória.

A harmonia familiar foi amplamente testada e colocada em debate. Profissionais tiveram que se adequar a um novo modelo de trabalho em casa. Pais e mães passaram a estreitar o relacionamento com filhos sem aulas presenciais. Tudo isso somado ao medo do contágio e da morte, à incerteza da empregabilidade, à perda de empregos e ao luto por quem perdeu um ente querido para a Covid, completam um cenário desafiador para a mente humana com ingredientes propícios para o sofrimento psicológico.

Os reflexos de todas as turbulências emocionais do cenário pandêmico da Covid-19 ainda não foram parametrizados pelos pesquisadores das comunidades científicas de psicologia pelo mundo, mas são esperados impactos sobre uma realidade que já é preocupante. Ainda de acordo com a OMS, o Brasil é considerado o país mais ansioso do mundo e o quinto mais depressivo. Mesmo assim, parte dessas pessoas não possuem assistência psicológica adequada.

Neste contexto que vivemos, o Janeiro Branco, campanha criada por um grupo de psicólogos mineiros em 2014 ganha ainda mais força. Depressão é uma doença séria e deve ser diagnosticada o quanto antes. Saber identificar um quadro depressivo, por exemplo, é uma maneira de evitar o sofrimento contínuo e um agravamento ainda maior da situação que pode levar à morte.

É essencial buscar ajuda profissional quando apresentar sintomas físicos impactando no cotidiano, como sensações de angústia, sentimentos de não pertencimento, dificuldades para se relacionar com as pessoas e desinteresse nas atividades cotidianas.

É importante destacar que nem todo sintoma físico requer tratamento. Algumas respostas reacionais, no entanto, são condizentes com o momento que a população mundial tem passado. Mas vale lembrar que o sofrimento não tratado pode evoluir para a evolução dos sintomas.

O Janeiro Branco, em tempos de pandemia, assume importância ainda maior no processo de conscientização das doenças psicológicas. O bem-estar emocional é um dos componentes para um estado de equilíbrio e felicidade. Esse bem-estar pode ser estimulado e aprimorado, mesmo diante de mudanças e desafios. O ano de 2021 abre caminho para as mudanças. Um ano novo, com novas perspectivas, que já começa com a boa notícia de vacinas contra a Covid-19. Esperança é a palavra do recomeço.

Alessandra Barcelos Menezes, psicóloga do Hospital Márcio Cunha.

Em busca de agilidade financeira, Sanar aposta em parceria com fintech

Artigo anterior

Empresa alerta que sem adoção de rastreabilidade farmácias podem ficar desabastecidas

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais Artigos