NewsNewsletter

Genera bate meta de receita e quer testar mais 10 milhões de pessoas até 2028

0

Fundada em 2010, a Genera, primeiro laboratório no Brasil especializado em genômica pessoal e com foco no DNA do brasileiro, tem crescido exponencialmente no mercado durante os últimos anos. Só no ano passado, a empresa já cresceu cerca de 167% em receita (a empresa não divulga o montante), ultrapassando a marca de 35% da sua meta anual. Com a expansão das atividades para a América Latina, em 2021, o laboratório afirma já ter testado mais de 200 mil pessoas e busca atingir 10 milhões de pessoas na América Latina até 2028.

“Em termos de faturamento, estamos otimistas com os resultados que obtivemos durante os últimos cinco anos. Tivemos um crescimento de 164% nas vendas de kits no ano passado, só no Brasil. Sentimos que isso pode fazer parte de um movimento de maior interesse dos brasileiros em conhecer mais de suas origens e uma maior preocupação com sua saúde”, afirma Ricardo Di Lazzaro Filho, médico formado pela Faculdade de Medicina da USP e sócio-fundador da Genera.

A expansão da Genera começou já em 2020, quando a empresa aumentou em 20 vezes as vendas dos testes de ancestralidade, saúde e bem-estar no comparativo com 2019. Segundo o diretor de contas da Genera, o laboratório já é considerado líder no mercado brasileiro no Google, sendo responsável por movimentar a quantidade de buscas dentro do segmento de testes genéticos, principalmente quando há movimentações de ações de varejo e influenciadores digitais.

Com a criação de bancos de dados públicos e privados despontando mundialmente, a Genera vê no cenário uma possibilidade ainda maior de faturamento e espera um crescimento de 50% para 2022, além de uma projeção de atingir 1 milhão de pessoas na sua base de dados até o final de 2025. Com isso, já consolidada em solo brasileiro, em 2021 a Genera rompeu fronteiras, iniciando as operações na Argentina e Uruguai e, no momento, se prepara para a chegada em países como Chile e Colômbia até o fim deste ano, ampliando ainda mais seu alcance.

A Genera utiliza uma técnica chamada microarray e faz uma leitura completa do DNA de cada pessoa oferecendo informações importantes. Além da ancestralidade, com os testes é possível ver resultados detalhados voltados aos cuidados com a saúde, como o apontamento dos medicamentos mais e menos eficazes para o seu organismo, tendência à deficiência de vitaminas, obesidade, alcoolismo e até possíveis predisposições a doenças, como câncer, Alzheimer, Parkinson, infarto do miocárdio e várias outras.

“A acessibilidade ao conhecimento e aos testes genéticos é o nosso principal objetivo. Acreditamos que quanto mais investirmos em inovação e pesquisa, mais chances teremos de popularizar esse nicho. Desde o ponto de vista econômico quanto de produção de conteúdo. Queremos oferecer uma nova forma de cuidado. Com o mapeamento genético é possível analisar muitos pontos e características pessoais”, finaliza Di Lazzaro.

Serus e médicos da Escola Paulista de Medicina criam cursos na área de saúde

Artigo anterior

Projeto do Vigilantes do Sono recebe investimento de R$ 1,2 milhão da Fapesp

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais News