NewsNewsletter

Criado instituto para pesquisa e disseminação de conhecimento na área de Oncodermatologia Estética

0

Esse mês é mundialmente dedicado a campanhas de Outubro Rosa em alerta ao câncer de mama e 19 é o Dia Internacional de Combate ao Câncer de Mama. Por este motivo, este dia foi a data escolhida para o lançamento do Instituto Lilás, no Rio de Janeiro. O mais novo Instituto se dedicará à área de Oncodermatologia estética, com foco na disseminação de conteúdo e também em pesquisas na área da dermatologia oncológica, incluindo a estética.

O projeto foi idealizado pela dermatologista com mais de 30 anos de experiência, Dra. Simone Stringhini; a doutora é Membro efetiva da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) desde 1994; membro efetiva da Academia Americana de Dermatologia (AAD) desde 2010; membro efetiva da IMCAS Academy (Aesthetics Surgery & Cosmetic Dermatology- European) desde 2018; referência em Diagnóstico e Tratamentos Dermatológicos Estéticos há 20 anos – foi uma das primeiras a fazer a aplicação de peeling no País, por exemplo; e conta com a parceria da empresa de tecnologia Vydence, para tentar suprir a lacuna de cuidados específicos com a pele do paciente oncológico, que muda de aspecto após os tratamentos e necessita de cuidados especiais.”Espero usar todo meu conhecimento e anos de prática em dermatologia estética para ajudar no tratamento da pele do paciente oncológico”, conta a Dra. Simone Stringhini, que vê o seu projeto pessoal ganhar vida com a missão de resgatar a autoestima, o autocuidado e a vontade de viver das pacientes.

O Instituto, que não tem finalidade lucrativa, irá se dedicar a pesquisas, produção e disseminação de conhecimento sobre tratamentos desenvolvidos e personalizados unindo dermatologia e oncologia, por meio de inovação e equipe multidisciplinar, promovendo a redescoberta da beleza e da saúde da pele com carinho, dedicação e excelência.

A parceria com a empresa Vydence, de tecnologia em aparelhos médicos para estética, com quem a dermatologista trabalha a mais de 15 anos, é muito importante pois viabilizará o desenvolvimento de protocolos e parâmetros de tratamento por meio de testes dos estudos desenvolvidos, que serão realizados com os equipamentos da empresa. Além disso, o Instituto Lilás vai contar com uma câmera 3D para documentar os resultados dos protocolos, com a qual é possível visualizar com precisão as camadas da pele e, dessa forma, observar a evolução dos tratamentos. Para os testes das pesquisas, foi feito um mapeamento amostral dos pacientes oncológicos, localizados no Rio de Janeiro, que poderão ser recrutados para participar, se assim desejarem e se estiveram aptos clinicamente.

Além disso, com essa parceria, o Instituto poderá oferecer cursos para médicos para troca de experiências e análise de resultados, auxiliando nas pesquisas constantes em novas tecnologias para a área da saúde e estética.

Para a idealizadora, o intuito é que o Instituto sirva de referência no Brasil como um pool de inovação, ciência, pesquisa e desenvolvimento em oncodermatologia estética, sendo pioneira neste conceito e ajudando a difundir informações e orientações sobre beleza e autocuidado para pacientes de todo o País. Além disso, segundo a dermatologista, o Instituto busca contribuir com a visão holística no tratamento do paciente com câncer unindo a Dermatologia e a Oncologia e tendo em vista que o cuidado da pele impacta a qualidade de vida das pessoas.

Para o futuro, é esperado que o Instituto se una a clínicas, hospitais e faculdades para ampliar pesquisas e descobertas na área de dermatologia para pacientes oncológicos.

Setor de planos de saúde cresce, mas não recupera beneficiários perdidos no auge da pandemia

Artigo anterior

RHMED|RHVIDA adota o sistema MHC para avaliar e monitorar a saúde de colaboradores

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News