GestãoNewsletter

Em que os CIOs da área de saúde devem concentrar suas energias

0

Os CIOs de empresas do setor de saúde devem se concentrar em três pontos importantes neste ano: design de plataforma, no ‘Virtual Care 3.0’ e na força de trabalho remota. O alerta foi feito em um artigo publicado na Healthcare IT News por David Chou, CIO de um sistema de saúde acadêmico nos EUA e que ocupou cargos executivos na Cleveland Clinic, Children’s Mercy Hospital e no Centro Médico da Universidade do Mississippi, entre outros.

Chou observa que, desde a chegada da pandemia, as instituições de saúde enfrentaram uma mudança cultural. “No passado, os líderes de TI da área de saúde eram naturalmente avessos ao risco e, por necessidade, criaram sistemas que estabeleciam uma ampla gama de obstáculos administrativos à mudança. Mas muitas organizações reduziram uma variedade de regras e requisitos nos últimos dois anos para ajudar a acelerar as mudanças necessárias para enfrentar a pandemia. Isso representa uma grande oportunidade de inovação”, salienta.

Na opinião dele, agora as empresas podem se beneficiar dessa mudança histórica de fluxos de trabalho rígidos e prevenção de riscos. “Se conseguirem aproveitar este momento, poderemos fazer deste um ano singularmente transformador para a saúde.”

Chou elenca algumas prioridades para tecnologia e liderança para CIOs neste ano:

Desenvolva a plataforma perfeita — Atualmente, os sistemas de saúde dispõem de ferramentas analíticas robustas para extrair dados de seus registros eletrônicos, mas podem fazer muito mais. Agora é um bom momento para os CIOs procurarem maneiras de criar uma plataforma perfeita que se aprofunde em uma matriz de dados muito mais abrangente.

Os CIOs podem começar a desenvolver — ou fazer parceria no desenvolvimento — soluções que ficam no topo de seus sistemas essenciais, em vez de acessar apenas os dados clínicos contidos no prontuário eletrônico do paciente (EHR, na sigla em inglês). Ao reunir e analisar esses tipos de dados díspares, eles podem gerar insights novos e valiosos.

Essa plataforma poderia incluir a oferta de análises mais profundas no gerenciamento da saúde da população, custo preciso do atendimento ao paciente, sistemas de seguro de saúdo (CMS; no caso dos EUA o Medicare e Medicaid) e dados sociais, otimização da cadeia de suprimentos (especialmente nesse momento em que as empresas enfrentam problemas com a cadeia de suprimentos em escala global) e, o mais importante, insights para trazer mais eficiência em suas operações hospitalares diárias.

Virtual Care 3.0 (hospital em casa) — Esta é a oportunidade para os CIOs liderarem o desenvolvimento de um conjunto de ferramentas que podem oferecer atendimento em qualquer lugar, a qualquer hora. Aqui estão algumas soluções de portfólio a serem consideradas:

  • Cuidados virtuais: Expanda a solução de telemedicina atual da organização ou estabeleça uma nova para descobrir como levar a plataforma prontamente à casa de um paciente. Há vários implantações nas casas dos pacientes feitas em parcerias com operadoras de banda larga ou de TV a cabo.
  • Otimização de rotas de mapas: A prestação de cuidados em casa exige que o médico vá visitar a casa do paciente. Para garantir que seus médicos estejam usando o roteamento ideal com base na programação, use e colabore com soluções como Google Maps, Apple Maps ou de terceiros.
  • Wearables e monitoramento remoto de pacientes: monitoramento remoto (RPM) e wearables fáceis de usar para monitoramento são fáceis de usar e implantar. A tecnologia é simples, mas é essencial estabelecer um centro de comando em tempo integral que possa monitorar muitos pacientes simultaneamente.

O departamento de TI centralizado não é mais relevante no ambiente atual. Explore um modelo descentralizado no qual a alta administração delega as operações do dia a dia e o poder de tomada de decisão a especialistas do setor (departamento) com especialistas em tecnologia como parte da equipe.

A ideia fundamental por trás de uma abordagem distribuída é dar autoridade e responsabilidade àqueles que sabem melhor — os que estão mais próximos das partes interessadas. Incorpore a equipe de TI com as operações.

Promova uma cultura de desenvolvedor cidadão, adotando soluções low-code ou no-code. Low code oferece o potencial de facilitar o desenvolvimento de soluções usando uma interface gráfica de usuário, em vez da abordagem tradicional de confiar na programação codificada manualmente, exigindo pouca ou nenhuma codificação para construir aplicativos e processos.

Os CIOs tradicionais devem lidar com seus medos de abrir mão do controle e perceber que não podem regular e controlar o acesso, especialmente aos dados. A governança será desafiadora e nova, mas não podemos nos ater ao mesmo processo que existia há cinco anos, esperando que funcione no ambiente de hoje.

Trabalho de qualquer lugar — Uma grande parte do trabalho pode ser feito de qualquer lugar. É claro que, na área da saúde, alguns trabalhos, como procedimentos cirúrgicos, devem ser realizados em ambiente clínico.

Além disso, pense em sua infraestrutura de tecnologia e verifique se ela é robusta o suficiente para o trabalho de qualquer lugar, com medidas de segurança. A casa do funcionário agora é uma extensão do ambiente de rede, e as soluções devem ser simples de usar quando os funcionários estão fora do ambiente da organização.

Por fim, concentre-se em capacitar seus líderes no gerenciamento da força de trabalho remota. O trabalho não é mais um lugar físico para onde você vai, então ter líderes treinados para lidar com a equipe remota será essencial.

Dr.consulta reforça cibersegurança contra risco de ransomware

Artigo anterior

Startup escolhe plataforma digital para cuidar da saúde de colaboradores

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais Gestão