GestãoNewsletter

Xerox recomenda quatro passos para automatizar a saúde

0

Os prestadores de serviços de saúde devem oferecer, a qualquer momento, os mais altos níveis de qualidade no atendimento ao paciente, cumprindo os requisitos básicos das tarefas administrativas. A pressão da pandemia da COVID-19 aumentou a necessidade de que hospitais e outros provedores de saúde garantam que seus sistemas são robustos e adaptáveis.

De acordo com os dados da pesquisa realizada este ano pela Unidade de Inteligência The Economist, 57% dos CEOs dos hospitais americanos pesquisados indicaram que a maioria de seus investimentos recentes foi na área de melhoria das comunicações eletrônicas entre profissionais de saúde, especificamente em ferramentas e aplicações de comunicação: 51% mencionaram a prescrição eletrônica e 50% mencionaram ferramentas eletrônicas de monitoramento de pacientes.

Outras respostas altas foram nas áreas de maior capacidade de armazenamento de prontuários (47,5%); e o uso da triagem digital como uma primeira abordagem para identificar e priorizar os pacientes que chegam aos serviços de pronto-socorro (46%). A melhor interoperabilidade dos dados digitais entre os provedores de cuidados primários e secundários foi mencionada por 46% dos entrevistados, e o maior uso de telemedicina ou consultas eletrônicas com os pacientes ficou muito atrás, com 45%.

Digitalização e automação são elementos importantes para alcançar as metas de transformação digital, o que permitirá que as organizações de saúde operem de forma mais eficiente. A Xerox oferece processos, aplicações e soluções, tais como a Automação Robótica de Processos (RPA) para oferecer melhor assistência médica.

A Xerox lista os processos para ir além do papel na saúde em quatro etapas:

  1. Conduzir uma auditoria interna focada na transformação digital.
  • É importante avaliar a extensão dos processos manuais e reconhecer o potencial para digitalizá-los e automatizá-los. Identificar o conhecimento dos membros da organização sobre leis e regulamentos nesta área. Além disso, criar um plano de ação que utilize tecnologias seguras e conformes, tanto internas como de parceiros externos confiáveis e qualificados, para apoiar mecanismos de implementação rápida.
  1. Usar tecnologias digitais para desenvolver uma visão única do paciente que gerem melhores resultados para todos os envolvidos.
  • Além dos prontuários dos pacientes, a digitalização de cada ponto de contato, desde registros em papel até a cobrança, comunicações e arquivamento, pode acrescentar um valor significativo a todos os sistemas de saúde.
  1. Promover uma opção de armazenamento centralizado e seguro dos prontuários digitais.
  • Um repositório seguro para registros de saúde digitais de todos os tipos deve ser um elemento fundamental dos sistemas de saúde em um mundo digital. Esta prática está em conformidade com os regulamentos e elimina custosos gargalos de informação resultantes de registros em papel.
  1. Integrar tecnologia para fortalecer a comunicação entre os dados e os sistemas de prontuários.
  • Automação, digitalização e “aplicação” são componentes críticos da transformação digital. Qualquer coisa que seja manual e intensiva em papel é um bom candidato para a transformação. Cerca de 90% dos bancos de dados de pacientes, por exemplo, ainda estão baseados principalmente em papel.

As organizações sanitárias de todo o mundo podem criar operações totalmente digitais, transparentes, mais bem-sucedidas e lucrativas onde o paciente está constantemente conectado a seus dados médicos e habilitado digitalmente para se encarregar de seus próprios cuidados. A Xerox está pronta e tem as melhores soluções em sistemas de saúde.

Ciberataques no setor hospitalar: quais medidas podem conter as invasões?

Artigo anterior

Estados Unidos alteram políticas de segurança e proteção de dados para setor de saúde e healthtechs

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais Gestão