InovaçãoNewsNewsletter

IA e gêmeos digitais apoiarão criação de modelos virtuais para tratar sintomas da Covid-19

0

Para tratar os sintomas da Covid-19 em longo prazo, a i2b2 tranSMART Foundation – uma organização de pesquisa de capital aberto sem fins lucrativos – conta com o suporte da Dell Technologies para gerenciar o enorme volume de dados globais de pessoas contaminadas pela doença para criar modelos virtuais de pacientes, conhecidos como gêmeos digitais.

Por meio da infraestrutura da Dell Technologies, os pesquisadores da i2b2 tranSMART terão a capacidade de realizar milhões de simulações de tratamento individualizadas nos gêmeos digitais, para então determinar a melhor opção de tratamento para os pacientes reais, com base no histórico genético e no histórico médico.

Esse tratamento só é possível graças aos recursos computacionais, inteligência artificial, aprendizado de máquina e armazenamento fornecidos pela Dell Technologies, que construiu um enclave de dados – uma rede segura de storage – composta pelos servidores Dell EMC PowerEdge e soluções de armazenamento PowerStore e PowerScale, bem como serviços de integração VMware WorkSpace One e Boomi. Nessa arquitetura, os pesquisadores coletam, armazenam e analisam dados espalhados por diversos sistemas de monitoramento e registros eletrônicos de saúde e, no futuro, terão a capacidade de atualizar os gêmeos digitais com dados clínicos em tempo real, coletados por meio de monitores, ventiladores mecânicos e batimentos cardíacos.

“Este projeto é um exemplo perfeito da comunidade global de pesquisa e tecnologia se unindo para apoiar pessoas que sofrem de uma condição que não é bem compreendida” disse Jeremy Ford, vice-presidente de doação estratégica e inovação social da Dell Technologies. “Trabalhando em conjunto com a i2b2 tranSMART Fundation, aplicaremos nossa expertise e tecnologia para construir modelos virtuais, compartilhar dados, realizar simulações e análises – usando esses insights para ajudar a entender e tratar melhor os pacientes com COVID de longa duração.”

Inicialmente, os pesquisadores usarão a rede de dados para alimentar os testes de 70.000 pacientes, simulações e análises, que serão compartilhados com o Consórcio 4CE, uma junção internacional de mais de 200 hospitais e centros de pesquisa, incluindo colaboradores de dados nos EUA, França, Alemanha, Itália, Cingapura, Espanha, Brasil, Índia e Reino Unido. Esse esforço tem potencial para se expandir com dados para até dois milhões de gêmeos digitais nos próximos quatro anos.

Compreensão e tratamento de COVID de longa duração

Estima-se que 1 em cada 20 pessoas com COVID-19 têm probabilidade de apresentar sintomas de longo prazo, que variam de fadiga profunda, névoa cerebral, dores de cabeça, arritmia cardíaca, febres e falta de ar. Os chamados long haulers sofrem do que é formalmente conhecido como Sequela Pós-Aguda de SARS-CoV-2 (PASC). Pouco se sabe sobre porque alguns continuam a ser afetados depois que o vírus deixa o corpo ou sobre os impactos de longo prazo.

Para saber mais, os Institutos Nacionais de Saúde anunciaram recentemente a primeira fase de uma iniciativa bilionária de quatro anos para apoiar a pesquisa do PASC.

Pesquisas sobre essa condição exigem quantidades colossais de dados de pacientes. Trabalhando diretamente com o Consórcio 4CE, a Fundação I2b2 tranSMART apoiou a mobilização de dados de uma rede de mais de 200 instituições em todo o mundo. Para proteger a privacidade dos pacientes, todos os dados se tornam anônimos antes de serem submetidos ao Consórcio 4CE.

“Nesta fase, os profissionais da saúde estão abrindo novos caminhos, desenvolvendo e avaliando a eficácia dos tratamentos contra a COVID-19”, disse o Dr. Shawn Murphy, membro do conselho da I2b2 e comanda a FundaçãoSMART. “Esta nova plataforma orientada por IA os ajudará a usar a explosão de descobertas de pesquisa para fornecer melhores cuidados e tratamentos de precisão para seus pacientes. Ao criar esses gêmeos digitais, estamos levando a pesquisa clínica a um nível totalmente novo.”

Inova Saúde conquista certificação de excelência em gestão hospitalar

Artigo anterior

Controle de vacinas: novo alvo dos cibercriminosos

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar