News

Roche investe em startups com projetos de gestão de dados em saúde no seu Desafio 2018

0

Acompanhando o momento da transformação digital na saúde, a Roche, uma das patrocinadoras da plataforma de aceleração de startups Innoscience/StartSe, anuncia o Desafio 2018 “Empowering patient data to redefine healthcare”, para startups que tenham abordagens inovadoras em projetos que contemplem a gestão de dados para o setor.

Durante a última década, houve um crescimento significativo na geração de informações provenientes de várias fontes – mobile, wearable, prontuários médicos eletrônicos, testes genômicos, registros realizados por profissionais de saúde e pelos próprios pacientes – que estão cada vez mais conectados entre si. A Roche acredita no potencial de transformação da saúde por meio da criação e utilização de conhecimento gerado pelo acesso a dados em larga escala (em profundidade e abrangência), possibilitando cuidados mais personalizados na área médica.

“A conjugação e o trabalho com dados de várias fontes nos permitem obter uma visão mais completa do cenário da saúde. Essas informações nos ajudarão a entender de que modo podemos promover melhores decisões, seja sobre um tratamento, de gestão ou mesmo em políticas públicas. Queremos investir em startups que tenham essa visão e façam parte desta revolução de big data nos cuidados com o paciente”, comenta Rolf Hoenger, presidente da Roche Farma Brasil.

O projeto vencedor será anunciado entre os meses de outubro e novembro e poderá escolher uma entre três opções de premiação:

Programa de imersão equity-free de três semanas na Digital Health Accelerator da Roche Diagnóstica, em Munique, na Alemanha, com acesso ao co-working, deep-dive com business coaching, interações com a Roche, startups, executivos e investidores locais;

Subsídio de serviços de consultoria para auxiliar a startup na definição do seu modelo de negócio, estratégia de crescimento ou estruturação interna;

Missão Vale do Silício (organizada pela StartSe), com programação de uma semana, que inclui visitas, palestras e eventos com empreendedores, investidores, profissionais e professores orientados à inovação de diversas indústrias para motivar a atitude criativa e transformadora.

Para concorrerem, os projetos precisam se enquadrar nas categorias abaixo e serem replicáveis em mercados fora do Brasil.

Categorias do desafio “Empowering patient data to redefine healthcare”:

#ObterDados: soluções de aquisição de dados que capturam eficientemente as interações do paciente ao longo da sua jornada (desde monitoramento a dados de diagnóstico, tratamento, resposta a tratamento e fase de pós-tratamento):

Plataformas e novos prontuários médicos eletrônicos que capturem grandes volumes de dados de mundo real, clínicos e genômicos de várias fontes públicas e privadas;

Sistemas focados no registro longitudinal das interações do paciente com diferentes unidades do sistema de saúde;

Sensores wearable e dispositivos não convencionais para monitoramento de biomarcadores (incluindo soluções digitais para monitorar sinais vitais e atividades diárias) e registro da adesão do paciente ao medicamento;

Softwares para diagnóstico remoto automatizado;

Outras soluções que empoderem o paciente para coletar os seus próprios dados de saúde;

Biomarcadores/ensaios para doenças com alta incidência na América Latina.

#TratarPreverComDados: soluções capazes de transformar dados de saúde em conhecimento que permita acelerar pesquisas, melhorar os cuidados do paciente e gerir doenças de forma mais eficiente, reforçando o nosso compromisso com os pagadores:

Ferramentas para extração, standardização, curadoria e/ou integração de dados de saúde, estruturados ou não, preferencialmente, provenientes de diferentes fontes (por exemplo, prontuários médicos e mídia social);

Técnicas de subagrupamento e ferramentas para pré-análise de data lakes;

Interfaces inovadoras e simples para interação e compartilhamento de dados de saúde;

Modelos computacionais para identificar assinaturas, padrões ou correlações relevantes do ponto de vista médico (relativo ao paciente e à população) e/ou prever a predisposição de pacientes para determinadas doenças;

Ferramentas sensíveis para prever surtos de doenças e emitir alertas antecipados;

Dispositivos que conectem pacientes e seus dados de saúde a especialistas em qualquer região;

Soluções para quantificar automaticamente custos de gestão da saúde e para identificar e trabalhar em ineficiências/desigualdades em acesso à saúde;

Soluções de triagem para o pronto atendimento, baseadas em dados em tempo real para prever fatores de risco e direcionar os pacientes para os melhores cuidados/opções de tratamento.

A Ziel Biosciences foi a vencedora do Desafio Roche 2017 “Transformando a Jornada Oncológica”. A startup inovou na forma de prevenir o câncer de colo do útero, com um dispositivo que permite a coleta do exame por pessoas não especializadas, o que pode potencializar a detecção do HPV (papiloma vírus humano) em regiões com difícil acesso aos serviços de saúde.

As inscrições estão abertas e poderão ser realizadas até o dia 18 de junho, pelo site www.desafioroche.com.br.

Feira Hospitalar começa dia 22 no Expo Center Norte

Artigo anterior

Ministro da Saúde assina acordo de cooperação com ANS para ressarcimento ao SUS

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais News