NewsNewsletter

Theia capta R$ 30 milhões para expandir cuidado com a saúde na maternidade

0

Com dois anos de operação e atuação focada em preconcepção, pré-natal, parto e pós-parto por meio de uma metodologia e plataforma de cuidados online, a healthtech Theia acaba de levantar R$ 30 milhões em uma rodada de investimento seed, liderada pelo fundo americano 8VC. Também participaram da rodada o fundo americano Canaan, especializado em saúde, além da Kaszek Ventures, a mesma que apostou em empresas como Gympass, Nubank, Loggi e Quinto Andar e que já tinha liderado a rodada anterior de pré-seed de R$ 7 milhões da Theia, em 2019.

O valor será aplicado na expansão da operação e em tecnologia, bem como para intensificar a parceria e relacionamento com planos de saúde. Fundada em 2019 por Flavia Deutsch Gotfryd e Paula Crespi, a Theia é uma é uma healthtech focada em mudar drasticamente o cuidado com a saúde na maternidade.

A Theia quintuplicou a receita ao longo de 2021 e, realizou desde janeiro passado, mais de mil atendimentos, dobrando no primeiro trimestre deste ano, O número de mulheres grávidas cuidadas pela healthtech. A empresa destaca, também, os resultados de saúde alcançados, que estão refletidos nas baixas taxas de cesarianas, internações, intercorrências neonatais e prematuridade, além de índice de satisfação das pacientes com NPS (net promoter score) superior a 90.

Por meio de sua plataforma de site e aplicativos, as mães recebem indicação de consultas e ações a serem realizadas. Podem agendar consultas presenciais e realizar consultas online, além de receber conteúdos e navegar seus dados de saúde, com acesso a profissionais selecionados e treinados pela healthtech. Elas também são acompanhadas por uma especialista pessoal, que faz acolhimento e segue ao lado dessa mãe durante a jornada, além de fazer a coordenação entre os profissionais multifuncionais que acompanham essa mulher na gestação.

“A proposta de valor que trazemos é oferecer cuidado de qualidade, acolhedor, humano e atualizado, usando o melhor da tecnologia para ajudar nessa jornada, e o melhor de tudo, passando a carteirinha do convênio”, diz Flavia Deutsch Gotfryd, sócia-fundadora da Theia.

Segundo ela, com um time transdisciplinar para cuidados na gestação amparado por sistema proprietário de dados e que atende inclusive o parto, a Theia hoje ataca um ponto de grande dor para as mulheres que se veem desamparadas no sistema. “A maioria delas enfrentam um modelo de saúde na gravidez que não foi desenhado para elas, que as tratam como barrigas que carregam bebês. Com incentivos perversos que levam hoje a taxas absurdas de cesáreas e de mortalidade materna, as mulheres hoje descrevem as suas próprias jornadas com o sistema de saúde com  alta taxa de insatisfação, quando não a veem de forma traumática. A Theia veio justamente para reconstruir esse sistema, de forma acessível e tecnológica”, afirma Flavia, que está em sua terceira gestação.

O Brasil é o segundo país com maior índice de cesárea do mundo, já a OMS considera normal uma taxa de nascimento por cesariana entre 10% e 15%. Atualmente a República Dominicana e o Brasil lideram o ranking no mundo, com aproximadamente 56% dos partos ocorrendo por meio de cirurgia, ou seja, ultrapassam e muito essa taxa, e no setor privado a taxa vai a impressionantes 85%.

“Atualmente, 70% das mulheres começam uma gestação querendo parto normal, porém, no sistema privado, apenas 15% conseguem e 85% acabam indo para cesárea. Tem inúmeras razões para isso acontecer, mas no centro disso tudo, está a falta de um sistema realmente centrado nessa mulher, que informa, acolhe, empodera, e respeita, com incentivos alinhados entre os envolvidos. A Theia nasceu para ser este novo sistema.”, reafirma Paula Crespi, sócia-fundadora, e que está em sua segunda gestação.

Espaço novo

Com o protagonismo em atrelar o que há de melhor em tecnologia aos profissionais da saúde, abriu no início deste ano, a primeira clínica física própria na capital paulista. Localizada estrategicamente na região da Avenida Paulista e ao lado do metrô, o espaço de 150m2 foi adaptado e personalizado para atender, com excelência, todo o percurso de passagem da mulher pela clínica, desde o momento em que chega (triagem) às consultas e realização de exames.

O espaço, que tem a direção clínica da Dra. Laura Penteado, médica obstetra nos principais hospitais e maternidades de São Paulo, oferecerá atendimento com ginecologista, obstetra, pediatria, fisioterapia pélvica, enfermeira obstétrica e outras especialidades. Hoje, o perfil de público atendido pela Theia são mulheres na faixa de 25 e 45 anos, que estão grávidas ou planejando, e os bebês que já nasceram. Por enquanto, a Theia opera presencialmente apenas em São Paulo, mas já estende os seus serviços virtuais para todo o país.

SAÚDE DIGITALK entrevista Carlos Pappini, CEO do Conecta Médico

Artigo anterior

Solução reduz tempo de diagnóstico de infarto para menos de 10 minutos

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais News