InovaçãoNewsletter

Agência da UFRJ transfere à industria tecnologia para tratar lesões da medula espinhal

0

A Agência UFRJ de Inovação transferiu a tecnologia polilaminina para a indústria e a expectativa com isso é que será possível tratar, no longo prazo, diversas doenças degenerativas, como paralisias decorrentes de lesões na coluna, por exemplo. A polilaminina é uma molécula proteica grande, derivada de proteínas biológicas da laminina, com capacidade de multiplicar as células do sistema nervoso.

Entre os benefícios do uso da polilaminina como agente farmacológico está o tratamento de lesões da medula espinhal. A molécula tem se mostrado uma perspectiva terapêutica real em médio prazo, atuando similarmente a uma célula tronco. Além disso, todas as pesquisas do grupo de inventores da UFRJ sobre a polilaminina tem garantido o sucesso da tecnologia e despertado o interesse da indústria.

Para Kelyane Silva, coordenadora da Agência UFRJ de Inovação, a descoberta e transferência para o setor industrial é mais um passo para promover o desenvolvimento de inovações e parcerias estratégicas que ajudem as pessoas a viverem melhor. “A ciência salva vidas e a UFRJ tem um papel importante na geração de inovações e estamos muito felizes que mais uma tecnologia da nossa universidade chegue à sociedade. Temos pleno conhecimento que, do ponto de vista farmacológico, a polilaminina irá ajudar muitas pessoas no futuro. Quanto UFRJ, nosso objetivo é seguir gerando conhecimento que se transforma em inovação para o bem da sociedade. afirma.

A Agência UFRJ de Inovação é o núcleo de inovação tecnológica da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Entre suas atribuições estão a difusão da inovação em toda a universidade, a proteção do conhecimento gerado na UFRJ, a transferência e licenciamento de tecnologias, e a articulação de parcerias entre empresas e a universidade de modo que o conhecimento produzido na instituição possa, de fato, chegar à sociedade.

Smart Doctor chega ao Brasil após receber aporte de US$ 1,5 milhão

Artigo anterior

Setor público de saúde encolhe 16% por conta da covid-19, revela pesquisa

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar