NewsNewsletter

Qiagen traz tecnologia que permite por meios de sistemas PCR Digital mapear variantes do SARS COV-2

0

Desde a descoberta da presença do SARS-CoV-2 nos dejetos das pessoas infectadas, o monitoramento do vírus em águas residuais tem sido uma das medidas essenciais para o controle epidemiológico da pandemia. O acompanhamento e análise das redes de esgoto ajudam a prever o aumento de número de casos da doença em determinada localidade, o surgimento de uma nova cepa até então desconhecida, e pode, ainda, auxiliar na adoção precoce de medidas preventivas contra a disseminação da COVID-19, como o lockdown.

Em busca de resultados mais rápidos e precisos nas ações de monitoramento desses resíduos, pesquisadores dos centros de controle epidemiológicos têm recorrido a sistemas de PCR digital, uma vez que essa tecnologia é muito mais tolerante à presença de inibidores quando comparada à PCR convencional e em tempo real, o que evita a geração de resultados falsos negativos, sendo altamente recomendada para esse tipo de análise.

Com o objetivo de contribuir para o sucesso desses monitoramentos, empresas de tecnologia para diagnósticos moleculares, como a multinacional alemã QIAGEN, têm apresentado uma série de soluções nesse sentido. Recentemente, a empresa desenvolveu o QIAcuity, um sistema de PCR digital que integra três módulos em um único equipamento. Baseado em nanoplacas, ele permite a geração de partições de maneira uniforme, sem variação de tamanho ou coalescência, o que aumenta ainda mais a robustez dos dados, pois mensura, precisamente, mesmo as quantidades mínimas de DNA e RNA em testes de pesquisa para vírus. Além disso, o sistema é extremamente rápido, quando comparado aos demais, sendo que da amostra ao resultado gasta-se aproximadamente duas horas, enquanto outros sistemas levam em torno de cinco a seis horas.

Pensando em facilitar o andamento das pesquisas, a QIAGEN apresenta agora o kit QIAcuity One-Step Viral RT-PCR, que foi desenvolvido especialmente para detecção de SARS-CoV-2 no sistema QIAcuity. Este kit possui uma química totalmente preparada para a reação, exigindo o mínimo de otimização por parte do usuário.

“A tecnologia de PCR digital, por muito tempo foi considerada uma alternativa com custo mais alto, apesar de conferir diversas vantagens frente às demais metodologias de PCR. Agregamos simplicidade a esta tecnologia, tornando-a mais acessível e permitindo que seja amplamente utilizada, o que contribui para a obtenção de resultados com mais acurácia. O sistema QIAcuity auxiliará de maneira precisa os pesquisadores no desenvolvimento da ciência”, comenta Paulo Gropp, Vice-Presidente LATAM da QIAGEN.

A precisão do QIAcuity é uma ferramenta valiosa para uso no teste de águas residuais para SARS-CoV-2. Ele é uma forma econômica para o levantamento da dinâmica de transmissão de comunidades inteiras, evitando os vieses de outros indicadores epidemiológicos, como o número de óbitos em proporção aos casos conhecidos ou rastreamento subestimado de casos na população total, pois grande parcela não é contabilizada entre os infectados, seja pela ausência de sintomas ou dificuldade de acesso à saúde.

Vigilantes do Sono amplia atuação com plataforma para médicos no tratamento de pacientes com insônia

Artigo anterior

Grupo São Cristóvão Saúde usa tecnologia a favor do beneficiário

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais News