GestãoInovaçãoNewsletter

Tecnologia e inovação aceleram melhorias na gestão do Grupo Opty

0

A tecnologia e a inovação sempre fizeram parte da medicina e se desenvolvem em ritmo cada vez mais acelerado. Se ganharam força em tempos de pandemia, não foi somente pela telemedicina, que tem ajudado médicos a acompanhar tratamentos e realizar orientações remotamente. Na Opty, os últimos 18 meses têm sido de muitos projetos colocados em prática, incluindo o Sadalla.Smart, uma clínica inteligente, e o Opty Labs, um hub de inovação aberta que conecta o maior grupo de oftalmologia da América Latina a startups, universidades e todo um ecossistema diversificado que respira inovação, ampliando fronteiras.

Em maio, a Opty abriu o Sadalla.Smart, uma clínica oftalmológica inteligente com recursos de hiperconectividade, na qual rotinas e processos são otimizados por meio de uso intensivo de tecnologia, proporcionando aos profissionais de saúde mais assertividade, enquanto oferece aos pacientes uma experiência de atendimento diferenciada. Inserida no Ágora Tech Park, hub de tecnologia em Joinville, aproxima esse verdadeiro laboratório de inovação de startups, empresas e universidades, players dentro e fora do segmento de saúde, construindo parcerias que fortalecem e aceleram a transformação digital da companhia.

“Com essa clínica inteligente, imersa em um dos principais habitats de inovação do país, temos a oportunidade de avaliar e testar de forma ágil processos, equipamentos e novas soluções que, posteriormente, podem ser utilizadas em outras unidades do grupo. O uso intensivo de tecnologia tem como principal objetivo proporcionar uma experiência de empoderamento ao paciente – que passa a deter mais informação sobre sua própria saúde. É algo realmente inovador no segmento de oftalmologia no País”, explica Dr. Renan Oliveira, oftalmologista do Hospital Sadalla Amin Ghanem e Chief Innovation Officer do Grupo Opty.

Além disso, anualmente, o grupo realiza o HackVision, programa de inovação aberta em saúde que conecta diversos agentes do ecossistema de saúde visual através de conferências e hackathons (maratonas de inovação), com intensa troca de conhecimento e desenvolvimento de soluções voltadas para a prevenção à cegueira e promoção da saúde ocular. Melhorias nos processos já foram implementadas a partir de projetos desses hackathons, como a criação de um formulário de anamnese digital, colocado em prática no Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, em Joinville (SC).

“As metodologias de inovação partem da empatia, um profundo entendimento do paciente e os problemas reais que afetam sua experiência na jornada de atendimento. Com base nessas pesquisas, perguntas foram especialmente pensadas para termos o melhor mapeamento possível das queixas, preferências e histórico do paciente, que pode preencher o questionário antes da consulta, entre um exame e outro. Pode parecer simples, mas é uma tecnologia que faz toda a diferença no atendimento, quando o médico pode olhar nos olhos de quem está falando, se conectar com a narrativa da pessoa e entender suas dores, sem ter que ficar se preocupando em anotar tudo que ela fala, digitando rapidamente as informações”, comenta o Dr. Renan. Sem dúvidas, um exemplo de como a tecnologia pode otimizar e humanizar o atendimento médico e priorizar o paciente.

Paralelamente, junto a empresas que são referência no segmento, o Grupo Opty desenvolve projetos que utilizam modelos de teleoftalmologia avançada para avaliação de exames pelo médico à distância, levando atendimento de qualidade a locais remotos e democratizando a oftalmologia.
Semeando inovação

O primeiro passo para trabalhar sistematicamente a inovação no Grupo Opty foi a implementação de um comitê de inovação, em 2018. “Contamos com gestores de todas as marcas participando e nos ajudando a planejar e construir soluções. Porém, esse foi apenas o ponto de partida, a inovação não deve ter fronteiras dentro da organização. Sentimos a necessidade de trazer todos para perto, mostrar nossas ideias, mas principalmente ouvir experiências e cocriar soluções com todas as áreas, aproveitando as diferentes culturas e gerações, certamente nossa maior riqueza dentro de um grupo com capilaridade nacional”, comenta Renan Oliveira.

É nesse contexto que um grupo de profissionais – reunindo corpo médico e de gestão – pegou a “estrada” para disseminar e estimular a inovação, em um movimento transversal, contemplando todas as regionais de atuação. A Opty preparou um road tour que passou por sete cidades em três semanas, realizando workshops para levar a cultura de transformação digital nos processos e na gestão de suas 66 unidades. No total, 140 pessoas foram diretamente impactadas pela iniciativa e se tornaram embaixadores para disseminar a inovação nas regionais.

De acordo com o ranking de maturidade digital por indústria da McKinsey & Company no Brasil, a saúde privada e a saúde pública ocupam apenas a 11ª e 12ª colocações, respectivamente. Como maior grupo de atendimento oftalmológico da América Latina, a Opty busca estar na vanguarda de seu segmento, em um movimento que inclui renovação de parque tecnológico, implementação de novas ferramentas para melhor tratamento de dados, mas que também passa pelos processos.

“Poucos grupos de saúde, e especialmente de oftalmologia, estão tão bem estruturados e profissionalizados como a Opty. Esse estímulo constante à transformação digital está intrínseco ao nosso modelo de negócio e é um diferencial no nosso segmento no Brasil. Queremos que a inovação permeie toda a organização”, complementa Juliana Pompeia, head de marketing e transformação digital da Opty, que esteve ao lado do Dr. Renan Oliveira apresentando e estimulando os médicos e colaboradores nas unidades do grupo durante o road tour.

“Cada regional tem um desafio específico. Mapeamos essas necessidades de melhorias locais – como aprimorar a experiência e a jornada do cliente de determinados serviços –, falamos em metodologia ágil aplicada na área de saúde e desenvolvemos a mentalidade digital das equipes para pensarem em soluções inovadoras”, conta Juliana Pompeia.

A Opty acompanha as tendências de mercado e busca estar na vanguarda de seu segmento, antecipando-se, sempre que possível, às mudanças e se adaptando aos novos cenários. “Nosso foco está no reforço de nosso propósito, que é melhorar a vida das pessoas, cuidando da visão de forma inovadora e inclusiva, pensando continuamente nos pacientes, corpo clínico e colaboradores”, aponta Dr. Jonathan Lake, diretor médico da Opty.

Sobre o Opty

O Grupo Opty nasceu em abril de 2016, a partir da união de médicos oftalmologistas apoiados pelo Pátria Investimentos, que deu origem a um negócio pioneiro no setor oftalmológico do Brasil. O grupo aplica um novo modelo de gestão associativa que permite ampliar o poder de negociação, o ganho em escala e o acesso às tecnologias de alto custo, preservando a prática da oftalmologia humanizada e oferecendo tratamentos e serviços de última geração em diferentes regiões do País. Nesse formato, o médico mantém sua participação nas decisões estratégicas e concentra seu foco no exercício da medicina. Em cinco anos, a Opty soma mais de 12 milhões de atendimentos – entre consultas, exames e procedimentos cirúrgicos.

Atualmente, é o maior grupo de oftalmologia da América Latina, agregando 23 empresas oftalmológicas, e mais de 2500 colaboradores e 1200 médicos oftalmologistas. Além das marcas próprias HOBrasil (BA, DF, RJ e SP) e Centro Oftalmológico Dr. Vis (DF, RJ e SC), fazem parte dos associados: Instituto de Olhos Freitas (BA), o DayHORC (BA), Instituto de Olhos Villas (BA), Oftalmoclin (BA), Hospital Oftalmológico de Brasília (DF), Hospital de Olhos INOB (DF), Hospital de Olhos do Gama (DF), Hospital de Olhos Santa Luzia (AL), Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem (SC), Centro Oftalmológico Jaraguá do Sul (SC), Sadalla.Smart (SC), HCLOE (SP), Visclin Oftalmologia (SP), EyeCenter Oftalmologia (RJ), COSC (RJ), Oftalmax Hospital de Olhos (PE), UPO Oftalmologia – Unidade Paulista de Oftalmologia (SP), HMO – Hospital Medicina dos Olho.

Medtronic investe R$ 5,5 milhões para melhorar processos de hospitais

Artigo anterior

SAÚDE DIGITALK entrevista Jeane Tsutsui, CEO do Grupo Fleury

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais Gestão