quinta-feira, maio 30, 2024
Home News SUS acaba de aprovar o TAVI e vai beneficiar mais de 1,5 milhão de brasileiros

SUS acaba de aprovar o TAVI e vai beneficiar mais de 1,5 milhão de brasileiros

por Redação
0 comentário

Dados demográficos mostram que, assim como muitos países do mundo, a população brasileira está “envelhecendo”, com o aumento do número de idosos e diminuição da proporção de jovens. Esse novo perfil populacional impacta nas políticas de saúde pública, já que muitas doenças antes despercebidas passam a se tornar mais comuns. Uma delas é a estenose aórtica, decorrente da degeneração e calcificação da válvula aórtica, dificultando a saída do sangue do coração para a aorta, prejudicando a circulação sangue e  acute,nea.

Seus sintomas são principalmente cansaço, desmaios, pressão ou dor no peito e arritmia cardíaca, podendo também se manifestar com morte súbita, infelizmente. Uma acentuada perda da qualidade de vida do paciente é comum, pela evolução de um quadro permanente de cansaço, fadiga e falta de ar. Mas seu impacto vai muito além. Entre os idosos acima dos 75 anos de idade – cerca de 1,5 milhão de brasileiros – a estenose aórtica atinge em torno de 5% no mundo, sendo uma doença que além de debilitar o paciente, sobrecarrega sua família e o sistema público de saúde. O idoso deixa de trabalhar, de se exercitar, de conviver socialmente e se torna dependente , com todas as implicações decorrentes disso.

Atualmente os casos estenose aórtica grave sintomática são tratados com cirurgias convencionais, ou seja, aquelas chamadas de peito aberto, com longos prazos de internação, convalescência e de recuperação. Mas por ser uma doença que atinge em sua grande maioria idosos, estima-se que até um terço deles não podem ser operados por conta do grande risco de complicações e de mortalidade e, assim, sofrem com deterioração de sua vida, sofrendo com os sintomas limitantes.

É nesse contexto que o Diário Oficial divulgou hoje, 11 de abril de 2024, a Portaria GM/MS Nº 3.414, disponibilizando a técnica percutânea minimamente invasiva para o tratamento da estenose aórtica: o Implante Percutâneo de Bioprótese Valvar Aórtica, mais conhecido como TAVI (do inglês Transcateter Aortic Valve Implantation) no Sistema Único de Saúde (SUS).

Trata-se de um fato histórico que busca recuperar a fronteira da inovação e iniciar um novo ciclo no tratamento da alta complexidade cardiológica no Brasil. Esse procedimento foi realizado pela primeira vez em 2002, na França, e permite a substituição da válvula nativa por meio de um procedimento via cateter, que é introduzido por um acesso vascular arterial geralmente na virilha do paciente, à semelhança de uma angioplastia com implante de stent coronário. Característica que o torna rápido e mais seguro para idosos, com impacto social para a família e potencialmente para o sistema público de saúde.

Apesar de já estar liberada no Brasil a uma década e meia, a técnica somente estava disponível na rede privada de saúde. Ao longo período desde sua liberação, a cardiologia brasileira realizou um importante trabalho de especialização e de capacitação para a TAVI, liderado pela SBHCI – Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista – através da realização de debates, simpósios, treinamentos e cursos.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias