quinta-feira, maio 30, 2024
Home Artigos Medicina Estética: quando comprar e quando alugar equipamentos?

Medicina Estética: quando comprar e quando alugar equipamentos?

por Alessandro Toss
0 comentário

Empreender na área de estética e beleza, assim como em qualquer novo negócio, exige um bom planejamento e avaliação de como começar a investir. O mercado de equipamentos estéticos cresce a cada ano nacionalmente, refletindo a evolução das preferências dos consumidores e os avanços tecnológicos. O setor está em ascensão, impulsionado por diversos fatores, incluindo a demanda crescente por soluções de beleza menos invasivas e mais convenientes.

O Brasil ocupa a 2ª posição entre os países que mais lançam produtos na área e está em 4º lugar entre os países que mais consomem produtos de beleza no mundo. Segundo um relatório especial da McKinsey, a previsão é que o setor atinja o faturamento de US$ 580 bilhões até 2027. (fonte: Sebrae). De acordo com o Grand View Research, o mercado global de medicina estética atingiu um valor de US$ 99,1 bilhões em 2021, com previsões otimistas para os próximos anos, projetando uma taxa de crescimento de 14,5% entre 2022 e 2030. Esses números refletem a crescente popularidade dos procedimentos estéticos, com destaque para os não invasivos, que representaram 50% de todos os procedimentos realizados em 2021.

Neste cenário aquecido, o setor de estética emerge como um dos principais impulsionadores da economia brasileira, oferecendo oportunidades lucrativas para investidores e empresários. A popularidade crescente de dispositivos portáteis e multifuncionais tem moldado significativamente o mercado, refletindo a busca incessante por soluções eficazes e sustentáveis.

Essas considerações estratégicas são ainda mais relevantes para empresas como a Rentalmed, da qual sou sócio. Nosso faturamento é predominantemente oriundo das vendas de equipamentos estéticos, que representam cerca de 80% do nosso negócio e vêm crescendo anualmente. Para 2024, nossa previsão é um aumento de 15% no faturamento. Esse é um exemplo de como esse mercado vem expandindo seus horizontes, e chegando a mais pessoas.

Falando um pouco do lado do empreendedor que deseja entrar no segmento, a ampla gama de opções disponíveis – tanto de equipamentos quanto na forma de investir – exige uma minuciosa avaliação de custos.

A compra oferece, é claro, a vantagem da propriedade permanente do equipamento, em que o empreendedor tem a liberdade de utilizá-lo conforme sua necessidade, sem restrições de tempo ou uso. Além disso, aparelhos mais caros podem ser financiados, o que facilita o processo de compra. Quando comparada à locação, a compra tem o benefício de não prender ao valor do aluguel, que atualmente no Brasil é feito por hora, restringindo o empreendedor em tempo e demanda.

Por outro lado, optar pela locação inicial permite testar o equipamento, avaliar seu desempenho e garantir que atenda às expectativas antes de um compromisso de compra. Isso proporciona segurança ao cliente, levando a decisões mais informadas e reduzindo o risco de adquirir um produto inadequado. Além disso, a experiência adquirida durante a locação pode influenciar positivamente a decisão final de compra, assegurando que o investimento seja feito em um equipamento que realmente beneficie o negócio.

Com uma abordagem informada e inovadora, é possível capitalizar sobre o potencial de crescimento deste setor vibrante e dinâmico, garantindo sucesso a longo prazo.

Alessandro Toss, CEO e fundador da Rentalmed.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias