NewsNewsletter

Healthtechs do Brasil receberam mais de US$ 665 milhões em aportes nos últimos 5 anos

0

Pesquisa realizada pela Movile, investidora de longo prazo em empresas de tecnologia na América Latina, revela que as healthtechs são o terceiro principal setor em investimentos na região. O estudo, conduzido pela Distrito, analisou o panorama do investimentos de risco nos últimos cinco anos (20217-2021) no Brasil, Argentina, México e Colômbia e mostra que o setor representa 8,7% dos deals (365) e 2,9% do volume aportado (US$ 831 milhões) em todos os países analisados juntos.

O Brasil foi responsável por cerca de 80% — cerca de US$ 665 milhões — do montante investido na região, embora as healthtechs respondam por apenas 9,5% das transações e 3,8% do volume total investido no país.

Quando se olha para os demais países analisados, o setor tem uma representatividade similar entre eles, tanto em número de deals (7,8%, 7,7% e 6%) quanto em valor (1,5%, 1,7% e 1,6%), no México, Argentina e Colômbia, respectivamente. No entanto, embora os percentuais sejam parecidos, os valores investidos são muito diferentes: o México recebeu cerca de US$ 87 milhões, a Argentina US$ 34 milhões e a Colômbia US$ 51 milhões.

Metodologia da pesquisa

O levantamento analisou o panorama de investimentos de risco em startups na América Latina nos últimos cinco anos com foco em quatro países: Brasil, Argentina, México e Colômbia. As informações foram selecionadas a partir de uma análise do banco de dados proprietário da Distrito, consultas a bancos de dados abertos e informações públicas de fontes especializadas.

Os critérios de seleção de startups considerados foram: ser definida como empresa que possui a inovação no centro do negócio na base tecnológica, no modelo de negócios ou na proposta de valor; ter operação independente; ter origem e operação no Brasil, México, Colômbia e Argentina; ter recebido investimento e/ou ter sido adquirida no período analisado (1º de janeiro de 2017 a 2 de dezembro de 2021); e ter recebido investimento do tipo Anjo, Pré Seed, Seed, Series (todos os tipos) e Private Equity. 

Novas tecnologias digitais facilitam monitoramento de pacienteas cardíacos

Artigo anterior

Clínica usa telemonitoramento e simulação em 3D em cirurgias plásticas pós-parto

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais News