GestãoNewsNewsletter

Pague Menos anuncia metas da agenda ESG

0

Com a visão de sustentabilidade, a Pague Menos  anuncia sua agenda ESG com 32 compromissos até 2030, ancorados em três pilares: Saúde para as pessoas, Saúde para o meio ambiente e Saúde para os negócios. “Ainda que promover acesso à saúde para os brasileiros seja um direcionador de nossas ações desde a nossa fundação, há 40 anos, encontramos na estruturação de uma agenda ESG a oportunidade de tornarmos essa atuação completamente integrada ao nosso negócio, abrangente e sem fronteiras, quando também nos comprometemos com a saúde do planeta. Entre os compromissos, temos inovações como o Clinic Farma Itinerante, que pretendemos tornar uma referência de apoio à saúde para a população de baixa renda em todo o Brasil”, afirma Patriciana Rodrigues, presidente do Conselho de Administração da Pague Menos.

A agenda ESG é tema prioritário do conselho de administração da companhia desde 2021. Com metas para 2022, 2025 e 2030, a Pague Menos destaca em sua agenda cuidados para promoção da saúde de funcionários, clientes e comunidades no entorno de suas operações. Um deles é contribuir para a prevenção de doenças crônicas, que de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019, acometem 52% das pessoas com 18 anos ou mais no Brasil. A empresa também pretende promover empoderamento e equidade em frentes de diversidade, além de adequar sua matriz energética para fontes renováveis e inaugurar a primeira “Loja Verde”.

Saúde para as pessoas – No pilar dedicado às pessoas, a companhia está focada na saúde e bem-estar de seus clientes, colaboradores e comunidades ajudando-os na prevenção de doenças crônicas e na adesão a tratamentos médicos prescritos. A garantia de saúde e segurança ocupacional; e apoio na promoção da saúde física e mental estão nos cuidados com os funcionários e no compromisso de conquistar até 2030, as certificações ISO 45001, que atesta alto nível de desempenho da empresa em prover Saúde e Segurança do Trabalho (SST); e a SA 8000, que incentiva as organizações a desenvolver, manter e aplicar práticas socialmente aceitáveis no local de trabalho.

Para impactar positivamente as comunidades do entorno das suas operações, em 2022, a Pague Menos pretende ter 30% de seus 20 mil colaboradores, espalhados em todos os estados do Brasil, dedicando um dia do ano ao trabalho voluntário. Além disso, a partir de 2025, 10% dos funcionários de lojas serão provenientes de cursos de desenvolvimento profissional oferecidos pela empresa a essas comunidades, que a partir de 2025 também receberão investimentos correspondentes a 0,5% do lucro líquido da companhia – porcentagem que deve ser dobrada em 2030 – para projetos de promoção da saúde integral.

O Clinic Farma, considerado a pedra angular do Hub de Saúde Pague Menos, que oferece mais de 50 serviços, que incluem testes laboratoriais e vacinas, além de telemedicina, ganhará uma versão itinerante para prestar serviços farmacêuticos gratuitos em comunidades remotas de baixa renda.

Saúde para o meio ambiente – Para diminuir significativamente as emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE), a Pague Menos pretende chegar a 2030 com 120% das emissões de GEE anuais compensadas nos escopos 1 e 2. Para isso, iniciou o inventário das emissões GEE dos escopos 1 e 2 – e pretende ter metas de redução definidas até o final deste ano. Ainda em 2022, todas as unidades da Pague Menos serão abastecidas com energia renovável em até 2 anos da sua abertura ou aquisição. Atualmente, 61% do total de lojas já são abastecidas por energia renovável gerada a partir de 33 parques solares. E em 2025 será inaugurada a primeira “Loja Verde”, uma loja completamente alinhada com os pilares de Saúde para o meio ambiente e Saúde para os negócios, onde serão validadas experiências para serem replicadas nas demais unidades da rede.

Saúde para os Negócios – No pilar de saúde para os negócios, a companhia deve intensificar seus investimentos no aprimoramento contínuo das competências profissionais e “socioemocionais” dos colaboradores. Em 2021, a empresa – que possui 24% de seu quadro de funcionários formado PCD´s, pretos e 50 + – avançou em sua jornada ESG com a estruturação de uma área dedicada à diversidade e inclusão. Na agenda ESG, em 2025 a companhia quer ter 10% de seus colaboradores com 50 anos ou mais; e metade dos cargos executivos preenchidos por mulheres. Em três anos, a companhia quer 15% dos cargos de liderança ocupados por pretos, porcentagem que pretende dobrar em 2030, quando também quer alcançar 6% na contratação de PCD´s.

Listada no mais alto nível de governança da B3, o Novo Mercado, a Pague Menos firma o compromisso de obter a ISO 31000 — Governança em Gestão de Riscos, Norma Internacional de Gestão de Risco que estabelece as diretrizes para condução desse processo com base nas melhores práticas do gerenciamento de ameaças.

Em 2025, a companhia pretende ter 100% dos seus fornecedores críticos de Marcas Próprias — que representam 70% do faturamento dessas marcas – auditados segundo critérios de qualidade e de ESG definidos. O objetivo é chegar a 2030 com 90% dos fornecedores da companhia em conformidade com os pré-requisitos ESG da empresa e ter todos os produtos de Marcas Próprias sem ingredientes controversos.

A Pague Menos possui o certificado Women on Board (WOB), uma iniciativa independente apoiada pela ONU Mulheres, que reconhece empresas que tenham pelo menos duas mulheres em seu Conselho de Administração. Além de se destacar com duas conselheiras, Rosilândia de Queirós Lima e Manuela Vaz Artigas, a companhia é uma das poucas no Brasil a ter uma mulher na presidência do colegiado, Patriciana Rodrigues. A companhia integra a carteira IGPTW, índice criado recentemente pela B3 em parceria com a consultoria global Great Place to Work (GPTW), com foco nas empresas que possuem as melhores práticas no mercado de trabalho.

Construção ESG

Em sua trajetória, iniciada em 1981, a Pague Menos nunca mudou seu propósito focado em cidadania, brasilidade, conveniência e em promover acesso à saúde para os brasileiros. Assim, sempre teve forte atuação em ações de responsabilidade social e ambiental. Ao começar sua jornada ESG em 2020 essas antigas práticas passaram por um processo de “transformação” que por fim as integraram completamente ao negócio, num projeto que é liderado pela presidente do conselho.

Para criar uma agenda ESG consistente, a Pague Menos contou com o apoio de uma consultoria especializada. Durante 2021, foi realizado o diagnóstico das práticas sustentáveis da companhia que deu suporte a elaboração da matriz de materialidade e na construção de sua visão de sustentabilidade, a partir da consulta a todos os grupos de stakeholders, além de associações e entidades de referência, que geraram aproximadamente 6 mil questionários respondidos.

Indicadores na saúde: mais do que tecnologia, é preciso inteligência analítica

Artigo anterior

Questões sociais preocupam mais CEOs do setor de saúde do que a média global, aponta estudo

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais Gestão