InovaçãoNewsletter

Startup ressalta que aplicação de IA pode contribuir com a área da saúde

0

A inteligência artificial se tornou um dos tópicos mais debatidos na área da saúde, e quando se trata de aplicação de IA para esse segmento, o tema fica mais complexo e desafiador. Nesse contexto, a triggo ai, startup focada em desenvolver produtos e soluções personalizadas voltadas para Data Analytics e Inteligência Artificial, explica que as soluções de IA são capazes de analisar e aprender com a experiência de milhões de pacientes e o conhecimento de milhares de médicos, otimizando muito o diagnóstico e o tratamento. 

Alguns pontos em que a aplicação da IA na saúde pode ajudar são em diagnóstico precoce e tratamentos de doenças a partir da análise de dados do paciente. Ela pode otimizar o tempo das equipes médicas e emitindo resultados de exames em tempo mais hábil, visto que muitos pacientes precisam de agilidade em situações críticas. 

A startup defende que são diversos os benefícios de integrar a inteligência artificial na área, pois ela contribui para a redução de custos, bem como para o gerenciamento e otimização de recursos, além do desenvolvimento de novas políticas públicas como a redistribuição de vagas e leitos em hospitais, por exemplo. 

No geral, a aplicação de inteligência artificial é associada à otimização de tempo, já que ela é capaz de automatizar tarefas repetitivas. Mas na saúde, ela pode auxiliar no diagnóstico ao mapear e eliminar as possíveis causas de um problema, ajudando na contenção de dinheiro desperdiçado com a prevenção. 

Apesar de se chocar com algumas barreiras quando se trata de questões éticas, a IA neste segmento pode levar melhores resultados para os pacientes, isso, claro, assegurando a proteção dos seus dados. Se as soluções de IA puderem ajudar os médicos a identificar complicações sérias mais cedo, melhorar os diagnósticos e conceder aos médicos acesso fácil às informações coletadas anteriormente, a inteligência artificial pode realmente ser capaz de reduzir esse tipo de risco e, potencialmente, salvar muitas vidas no processo. 

IA já é utilizada 

As empresas já investem em inteligência artificial e aprendizado de máquina para reconhecer distúrbios cerebrais, tumores cancerígenos, deficiências visuais e muito mais com base em imagens médicas, como ressonâncias magnéticas e ultrassons. A IA também pode fornecer suporte essencial para aliviar o esgotamento dos times, impactando positivamente na rotina dos profissionais da área, que ganham mais tempo para se dedicar a outras funções. 

Segundo uma análise da Frost & Sullivan, em 2030, espera-se que o mercado de soluções médicas baseadas em tecnologias inteligentes alcance mais de US$ 6 bilhões e, até 2025, projeta-se que a inteligência artificial esteja em todas as áreas da saúde. 

Outro ponto interessante é que cada vez mais, os dados da indústria mostram que os setores farmacêutico e de biotecnologia têm intensificado seus investimentos em inteligência artificial e tecnologias de big data nos últimos anos. À medida que os algoritmos e suas aplicações continuam a evoluir, a IA e o aprendizado de máquina estão sendo cada vez mais disseminados nas operações de saúde e inovadores de todos os tipos. 

Um software baseado neste tipo de aplicação pode processar enormes quantidades de dados relevantes e voltam com insights acionáveis, reduzindo o trabalho manual de base para as equipes, que estariam cada vez mais sobrecarregadas. 

Roche usa nuvem AWS para extrair valor de dados sobre saúde

Artigo anterior

Plataforma de especialização e educação continuada conecta profissionais da saúde interessados em Hematologia

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar